sexta-feira, 11 de julho de 2008

A cada dia nos encantamos mais e mais com a fidelidade de Deus. Como é possível que após 2000 anos espalhados pelas nações, sofrendo todo o tipo de perseguição e várias tentativas de extermínio ao longo da história, nosso povo tenha sobrevivido? Como é possível existirmos e vivermos novamente em nossa terra natal, estando rodeados por 1,5 bilhões de árabes que nos odeiam? Muitos trabalharam arduamente para ver o milagre ISRAEL como uma realidade em nossos dias, mas o crédito e a honra devem ser dados somente ao Eterno!

De nossa sacada podemos avistar um bonito e pequeno monte. Abaixo deste monte existem algumas ruínas de um pequeno vilarejo dos dias anteriores aos reis, chamado Zufe. No alto deste monte habitava um dos maiores profetas de Israel, nascido de uma mãe estéril como fruto de muita oração e súplica. Não obstante, seu nome significa em hebraico “Deus me ouviu”! Estamos falando do profeta Samuel (Shmúel).

Neste monte Saul e seu amigo procuraram o “homem de Deus”, buscando saber a localização das jumentas de seu pai. O bonito e alto jovem benjamita que queria apenas encontrar as jumentas perdidas de seu pai, acabou se tornando o primeiro Rei de Israel. Saul foi ungido por Samuel para reinar e libertar os israelitas da opressão dos filisteus (povo do mar), e tinha tudo para cumprir seu chamado e estabelecer a sua descendência sobre o trono de Israel. Mas Saul desobedeceu ao Eterno, deixando de dar ouvidos ao profeta de Deus e agindo conforme a sua própria vontade. Ao poupar seus inimigos e não abrir mãos dos despojos de seus adversários, ele permitiu que seu coração se afastasse da verdade, não sendo mais merecedor do trono de Israel.

Quando olho para o pequeno monte de Zufe sou confrontado com o perigo de fazermos a obra de Deus na nossa própria força, na nossa própria capacidade. Quantos são capacitados e escolhidos pelo Eterno para desempenhar tarefas no Reino, mas acabam tragados por sua própria vaidade, não reconhecendo a soberania de Deus. Seus ministérios se tornam mais importantes do que obedecer ao próprio Deus. Que possamos, diariamente, entregar nossas vidas, nosso ministério, nossa família nas mãos do Eterno, para que Ele nos guie e nos admoeste conforme a Sua Lei. O homem de Deus não segue seu próprio caminho nem os desejos do seu coração. Ele é guiado por Deus muitas vezes por caminhos tortuosos e com muitos obstáculos. Que possamos sempre ter o nosso coração PURO diante de Deus, buscando realizar a Sua vontade e não a nossa. Este é o servo de Deus: guiado pelo Espírito, humilde de coração e apaixonado pelo Pai!

Contamos com as orações de todos em favor da nação de Israel e do povo judeu. Há uma guerra espiritual sendo travada neste momento em Israel, onde o inimigo tem tentado de todas as formas cegar o entendimento das pessoas, disseminando o ódio e a perseguição. Israel caminha para a intolerância e para a discriminação religiosa e racial, que cresce a cada dia. Ore e interceda diariamente pela salvação de Israel e pela Paz de Jerusalém. Esta é nossa arma mais eficaz!

A todos meu caloroso Shabat Shalom,

MZandona

Monte Zufe (à esq.) e Jerusalém ao fundo (à dir.)