domingo, 23 de outubro de 2011

Lista de Oração de Jerusalém

Por Joseph Shulam

Na quinta-feira passada estivemos no Supremo Tribunal de Israel. O recurso contra nós foi ouvido por três juízes da Suprema Corte. Deveríamos dizer apenas o mínimo. O Supremo Tribunal de Israel é muito diferente do que eu imaginava. Os juízes eram muito informais em seu debate e até mesmo na maneira que eles se sentavam em suas cadeiras. Eles foram simpáticos com os advogados de ambos os lados e fizeram comentários de brincadeira com os advogados e uns com os outros. Houve muita discussão entre os juízes e os advogados e, na verdade de uma forma maravilhosa porque foi quase como uma conversa de família na noite de sexta-feira ao redor da mesa de Shabat. O veredicto dos juízes será dado dentro de alguns meses, mas o meu sentimento pessoal é que temos a lei do Estado de Israel do nosso lado e se Deus quiser, vamos vencer. A oposição exagerou grosseiramente a situação a respeito da força do Netivyah e dos judeus messiânicos e torceu a intenção do Netivyah, mas suponho que eles tinham que fazer isso, a fim de nos fazer soar como os conspiradores dos Protocolos dos Idosos de Sião. Não creio que seu plano vai funcionar com esses juízes ou com a Suprema Corte de Israel. Mas, neste momento a única coisa que podemos fazer é orar para que a vontade de Deus seja feita.

Com relação à cidade de Jerusalém e ao processo de licenciamento para permissão de construção, o mesmo está em andamento e, apesar da oposição estar fazendo tudo o que pode para nos atrasar e causar obstrução ao projeto de construção, nós estamos seguindo em frente. Vamos construir e como a oposição está fazendo o seu melhor para nos atrasar ou nos parar vamos fazer o nosso melhor para progredir e exigir nossos direitos todos de acordo com as leis democráticas e nossos direitos civis no Estado de Israel. Precisamos de suas orações e seu apoio para construir uma autêntica sinagoga do primeiro século de judeus discípulos de Yeshua.

Israel não é o Egito! No Egito desde março de 2011, cerca de 200 mártires cristãos e várias igrejas foram queimados. O Governo Militar egípcio está fazendo quase nada para parar esta violência sectária e a perseguição aberta aos cristãos. E o mais incrível é que o chamado mundo cristão não está fazendo nada para ajudar e apoiar seus irmãos cristãos no Egito. Na verdade, a perseguição aos cristãos no Egito vem acontecendo há mais de 60 anos. Os cristãos no Egito e em outros países árabes não podem construir novos prédios para a Igreja, e no Egito nos últimos 60 anos eles não têm sido capazes nem mesmo de remodelar ou efetuar reparos em suas igrejas. Houve mártires da fé no Egito ao longo de todos esses anos, e até mesmo nós conhecemos um americano da Califórnia que esteve em Israel para uma temporada e no Egito, ele foi martirizado por pregar as Boas Novas. No momento tudo o que podemos fazer é orar para que os Estados Unidos e a Europa, os países chamados cristãos, possam acordar e “cheirar as rosas” e compreender que o que o mundo está enfrentando não é uma primavera árabe, mas sim, uma revolução radical islâmica que é alimentada pelo ódio aos judeus e aos cristãos. O chamado “Ocidente” tem que acordar e começar a tomar todas as medidas possíveis para mudar esta perseguição e a negação dos direitos civis aos cristãos. O Ocidente deve iniciar uma ação imediata ao começar a pregar as Boas Novas aos árabes e mulçumanos em seus próprios países, e continuar com as restrições e sanções, nos negócios e finanças, para esses países e governos que perseguem os cristãos e judeus. A justiça será feita por Deus no final, mas vai ser feita para ambos os lados se aqueles que afirmam ter a luz continuarem a escondê-la e não fizerem uso dela. Basta olhar para a cidade de Belém da Judéia. Belém tinha uma maioria de cristãos, há 30 anos. Os mulçumanos os perseguiram, pressionaram, ameaçaram e, como ninguém os deu apoio eles fizeram suas malas e saíram de Belém. Agora há apenas 15% de cristãos na cidade. A mesma coisa acontece em Jerusalém. O número de cristãos diminuiu muito. As igrejas precisam acordar em toda a Europa e Estados Unidos e pressionar seus representantes no Congresso a fazerem algo sobre esta situação que é uma verdade também na Europa. A primeira coisa a ser feita deve ser pregar as Boas Novas à população árabe e mulçumana nas cidades da Europa. Devem pregar forte e falar a verdade em amor e não ter medo ou ser intimidados pelas ameaças de violência e morte que os mulçumanos fazem contra quem eles não gostam. Apenas pensem que a Dinamarca teve tais tumultos por causa de um cartunista que fez uma charge de Maomé em um jornal, ou de M. Rushdi um iraniano que escreveu o livro “Versos Satânicos”. Ele ainda está escondido por medo morrer. Os cristãos estão fazendo muito pouco para salvar a vida de um mulçumano que se converteu ao cristianismo e está pregando as Boas Novas no Irã. Os iranianos são empenhados a executá-lo e tirar-lhe a vida porque ele está pregando as Boas Novas de Yeshua – o príncipe da vida. Devemos orar pela situação no Oriente Médio e pedir a Deus a Sua intervenção. Ele pode fazê-lo com um tsunami, com uma tempestade, com um terremoto, com fogo, água ou vento. Mas, a nossa oração deve ser para que Deus use Seus servos fiéis para pregar as Boas Novas aos mulçumanos começando com aqueles que estão vivendo em seu quintal, em suas cidades, participando de suas escolas, frequentando suas universidades, e trabalhando em seus escritórios, em Nova York, Washington, Dallas, Los Angeles, San Francisco, Chigado, Denver, e Mobil – e especialmente em Detroit, Michigan e Toledo, Ohio. É claro que o mesmo princípio é verdadeiro para Londres, Paris, Genebra, Oslo e Estocolmo.

O Senhor permitindo, Marcia estará viajando para os Estados Unidos para visitar os nossos filhos e sua família. Por favor, orem por sua saúde e para que ela faça uma viagem tranqüila e segura.

Se o Senhor permitir, estarei viajando para o Extremo Oriente perto do final deste mês. O Senhor abriu algumas portas muito raras na China e eu estarei ensinando em igrejas e seminários oficiais do governo. Isto é muito especial porque me dá a oportunidade de apresentar o conceito de Restauração e teologia para a liderança cristã do interior chinês que não é uma parte da igreja subterrânea, mas uma parte das igrejas apoiadas pelo governo oficial, que são realmente o maior grupo de cristãos na China. Minha viagem terá início em Hong Kong onde terei uma oportunidade de ter comunhão e ensinar alguns irmãos muito queridos e exortá-los a continuarem a orar pela salvação de Israel. De Hong Kong irei para a província de Hubei na China, e de lá para a Coréia para ensinar vários seminários em diferentes igrejas que de uma forma tão amorosa têm apoiado o Netivyah e muitos outros ministérios em Israel. De Seul na Coréia, irei ao Japão para o Forum Messiânico da Ásia em 2011, e de lá voltarei a Seul, para ensinar na Universidade CAU. Esta é uma universidade secular que tem mais de 30.000 alunos. Como você vê, eu preciso de suas orações pela minha saúde, segurança em todas essas viagens e pelo sucesso nos ensinos; que eu possa tocar muitas almas e trazer avivamento e encorajamento para muitas pessoas. Orem também pelo ministério Netivyah e sua equipe em Israel e pela liderança e membros da Congregação Roeh Israel em Jerusalém. A boa notícia destes dias é que Israel finalmente assinou um acordo com o Hamas na Faixa de Gaza para o retorno de Gilad Shalit nosso soldado que foi seqüestrado há cinco anos pelo Hamas e mantido em algum lugar subterrâneo. Receberemos Gilad Shalit e entregaremos 1.000 terroristas com sangue em suas mãos em troca deste jovem cabo israelense. Entre os 1.000 terroristas que serão libertados estão os que assassinaram Rehavaam Zeevi – Ghandi, e aqueles que mataram Nachshon Waksman a sangue frio, e os arque-terroristas que provavelmente voltarão a ser ativos no terror. Esta troca não tem lógica e pode não ser tão inteligente quando se pensa na agenda principal do terrorismo, mas como judeus quando se trata de nossos filhos e nossos soldados nós permitimos nossos valores morais e as emoções determinarem nossas atitudes. Esta é uma história antiga e você pode vê-la em toda a Bíblia. Como judeus somos espertos em relação a coisas que não envolvem nossos filhos e nossos soldados são nossos filhos. Todos nós precisamos orar, antes de tudo para que o acordo que foi assinado por Israel seja realmente cumprido, e em segundo lugar, para que Deus cuide desses terroristas e Israel saiba o que fazer em relação a esses que serão libertados da prisão e voltarão para os caminhos do terror e continuarão a planejar e a executar atos de violência contra cidadãos inocentes, mulheres, idosos e crianças.

Ainda estamos lutando pela atualização da Radio Kol HaYeshua e pela obtenção de novos compromissos para a mesma. Estamos fazendo um bom trabalho apresentando o ensino da Palavra de Deus para o povo do Oriente Médio, mas precisamos de alguns jovens produtores que sejam talentosos e comprometidos e estejam dispostos a trabalhar e apresentar a mensagem da verdade, amor e esperança aos nossos companheiros da comunidade que fala hebraico em todo o Oriente Médio.

O programa de Distribuição de Alimentos tem sido muito elogiado pelas centenas de pessoas que receberam alimento de boa qualidade especialmente para as Grandes Festas. Várias pessoas telefonaram e em lágrimas elogiaram o trabalho do programa de distribuição de alimentos do Netivyah. Por favor, continuem a orar e a apoiar este programa muito especial e único em Jerusalém.

Continuamos a orar pelos enfermos entre nós. Orem conosco pelos irmãos: Ahuva, Leah, Ilana, Miriam, Sarit, Sara, Zvi, David S., David, Ruby, Liz, Paulo, Ishiida San, a Sra. Sadako, Merav, e Marcia. Não se esqueça de orar por todos aqueles que você conhece pessoalmente e sabe que estão enfermos e precisam de cura.

Orem por aqueles que estão sofrendo por estresse financeiro profundo. Estamos fazendo o que podemos para ajudar os nossos irmãos que estão desempregados e em necessidade, mas temos que pedir a Deus por eles. De nossa parte faremos tudo o que estiver ao nosso alcance.

Deus abençoe a todos e feliz festa de Sukkoth! Lembre-se que a nossa vida aqui nesta terra não é um castelo de pedras, mas uma semelhança. Somos todos violinistas no telhado!

Joseph Shulam