quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Lista de Oração de Jerusalem, 30 de setembro, 2011.

Por Joseph Shulam

Hoje, primeiro dia do sétimo mês de acordo com o calendário judaico é Rosh Hashana o Ano Novo Judaico. É a festa das trombetas. Tivemos cultos especiais e usamos o shofar dando os tradicionais toques. Nas sinagogas amanhã lerão Gênesis capítulo 22, o sacrifício de Isaque. Fiz a seguinte pergunta: “Porque todas as sinagogas no mundo lêem este capítulo sobre a festa das trombetas?” Bem, do ponto de vista oficial é para lembrar que Deus enviou o cordeiro para substituir Isaque sobre o altar. O cordeiro tem chifres e o shofar feito de chifre de cordeiro nos faz lembrar o cordeiro que Deus providenciou para salvar Isaque da morte. No entanto, não tenho certeza de que esta seja a única explicação ou razão para que esta festa tenha sido ordenada para o primeiro dia do sétimo mês, ou por que a principal coisa sobre este feriado é o toque do Shofar. A pergunta que surgiu este ano é o que poderia motivar uma pessoa justa como Abraão a estar disposto a matar o seu filho unigênito, Isaque? Todos nós temos muitas razões pelas quais fazemos as coisas, e especialmente pelas ações complexas que podem trazer conseqüências muito graves. Você pode imaginar o que aconteceria hoje, e provavelmente alguns diriam que o mesmo poderia acontecer também nos dias de Abraão? “Um homem mata seu filho em um altar improvisado em cima da montanha perto de Jerusalém”. Isto poderia ter sido a manchete para o Jerusalem Times! Outra manchete poderia ter sido: “Um Anjo do Céu impede um homem de matar seu próprio filho”. No entanto, não foi isto que aconteceu. A pergunta permanece: o que motivou Abraão a levar seu filho unigênito e oferecê-lo no altar?

Em geral, as pessoas são motivadas por várias coisas: medo, amor, ganho, (poderia ser o acúmulo de riquezas), honra, poder, segurança, zelo religioso – que geralmente chamamos de fé no cristianismo, ódio, vingança e ciúme. Provavelmente, há outras motivações na vida, mas estas são as principais. Então, o que levou Abraão a tomar o seu filho e amarrá-lo no altar disposto a tirar sua vida?

A resposta simples é “fé” – que fé pode motivar uma pessoa a fazer algo que é contra a lei, contra a lógica, contra a dignidade humana, contra a família, contra a própria esperança para o futuro? Acho que responder “fé” é muito simplista. Tem que haver muito mais do que “fé” ou fervor religioso para levar um homem a fazer o que Abraão fez. Em minha opinião, ele estava disposto a sacrificar seu filho Isaque por motivos muito mais complexos.

Medo – Abraão não tinha medo de fazer o que Deus lhe pediu para fazer. Ele sabia que Deus cumpre Suas promessas. Ele temia que se não obedecesse a Deus algo de ruim poderia acontecer a ele e sua família.

Ganho – Abraão sabia que a obediência aos mandamentos de Deus lhe traria ganho e riquezas. Ele viu que Deus é fiel para aumentar seu rebanho e riqueza por causa de sua fé e obediência (veja Gênesis 26:4-5).

O zelo religioso – Fé, Abraão amava a Deus e estava disposto a receber a correção e repreensão por seus pecados e erros. O verdadeiro amor sempre está disposto a receber correção por parte de seus entes queridos.

Esperança – Abraão tinha essas maravilhosas promessas de Deus e sabia que Deus sempre cumpre Suas promessas, porque Ele não é homem para que minta. Por esta razão, Abraão sabia que, mesmo se ele sacrificasse Isaque Deus o ressuscitaria.

Amor – o amor de Abraão por Deus e seu amor por Isaque foi uma forte motivação durante toda a sua vida. Seu amor por Isaque também foi fortalecido pela fé e esperança que ele tinha quanto ao cumprimento das promessas de Deus para a sua semente, a terra, e as bênçãos para o mundo todo.

Eu gostaria que vocês pensassem sobre si mesmos agora, nos próximos dez dias e se perguntassem: por que eu faço o que faço? Sejam honestos consigo mesmos e cada um faça uma relação das coisas que você acredita que Deus prometeu a você e sua família. Depois de fazer essas duas coisas você precisa perguntar a si mesmo: o que estou disposto a sacrificar e dar a Deus para que minha vida seja abençoada e fiel e próspera com as bênçãos de Dele!

Eu abençôo a todos vocês meus queridos irmãos com um ano maravilhosamente rico, com boa saúde, com grande satisfação em sua vida e trabalho, com uma experiência maravilhosa em sua comunhão e serviço para Deus e para a comunidade, e com uma grande alegria em abençoar Israel e o povo de Deus. Shana Tova a todos vocês para o ano 5772.

Por favor, continuem a orar por nossos irmãos e irmãs enfermos em todo Israel, Brasil, Estados Unidos, Japão, Alemanha, Finlândia, e em casa também. Não vou listar novamente, mas se você precisar lembrar os nomes basta olhar a lista da semana passada.

Deus abençoe a todos, dando-lhes entendimento do que é realmente importante para agora e para a eternidade e sabedoria para tomar as decisões corretas e saudáveis com base em uma avaliação verdadeira da fidelidade de Deus em cumprir Suas promessas para com você, Israel, e para com todo o mundo.

Obrigado e Shana Tova a todos,

Joseph Shulam