quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Lista de Oração de Jerusalém, 20 de outubro, 2012


Por: Joseph Shulam – De: Singapura

Nunca estive em um lugar tão totalmente diferente de Jerusalém, Israel. A diferença mais visível e marcante é que tudo o que é verde é grande. As árvores são grandes e suas folhas também e há jardins e flores e tudo é mais verde. A outra diferença é que a cidade é muito limpa, não quero dizer com isso que Jerusalém seja suja, mas Cingapura é mais limpa. As pessoas são sempre gentis, mesmo quando há questões sérias sobre a mesa a discussão é muito civilizada, em tom forte, mas gentil. Há muitas raças em Cingapura e também existem as comunidades religiosas clássicas, mas não parece haver o antagonismo que existe em outras partes do mundo entre esses grupos religiosos. Meu anfitrião me proporcionou um carro e motorista. O nome do motorista é Muhammad. Você pode adivinhar a que grupo religioso ele pertence. Ele disse que em Cingapura há paz e compreensão entre as diferentes comunidades, porque há tolerância zero para a discriminação racial e incitamento de ódio. Este não é um paraíso, mas é bom estar em um lugar como Cingapura.

A coisa mais interessante e emocionante sobre estar em Cingapura é o trabalho visível do Espírito Santo entre um grupo pequeno, mas poderoso de cristãos individuais. O que tenho visto nas pessoas que conheci aqui em dois dias é que há uma séria procura pela verdade.  Encontrei-me com alguns cristãos gestores de elite em economia, política, indústria, e até mesmo o ex-comandante da polícia de Cingapura. O interesse deles pela verdade bíblica e não pela igreja e pelas tradições denominacionais é, e deve ser a obra do Espírito Santo. É muito raro em minha própria experiência estar entre cristãos, mesmo pregadores e pastores que estejam verdadeiramente muito interessados em descobrir a verdade da Palavra de Deus e em buscá-la diligentemente. Na verdade, a minha experiência é que quando pregadores se reúnem para almoçar ou jantar um dos últimos temas que eles discutem é a Palavra de Deus. Esportes parece ser o tema preferido na maioria das conversas. Estou em Cingapura há três dias e ainda não encontrei um pregador ou pastor. Pode ser que amanhã terei sorte de encontrar alguns na igreja em que vou ministrar.  Ontem à noite ministrei por longo tempo a um grupo de cerca de 20 jovens, entre eles alguns adolescentes. Esses garotos eram afiados, atentos, envolvidos, muito respeitosos e educados, mesmo quando eu era um pouco duro com eles (para manter o bom humor) respondiam graciosamente. Neles também a fome e a abertura para aprender coisas novas da Palavra de Deus eram muito visíveis e claras.

 Vejo o mesmo acontecendo entre os jovens da nossa própria congregação em Jerusalém. Há um senso de urgência e de zelo pela verdade e pelo envolvimento com a obra do Reino. Nossa congregação perdeu nosso Hazan (Cantor) e, há algum tempo perdemos um dos nossos leitores da Torá e o segundo leitor é Udi que está muito doente agora e muitas vezes não pode vir à congregação e ler. Os jovens se mobilizaram e estão preparando e lendo o texto da Torá aos sábados. Temos um novo Hazan (Cantor) que também é leitor e líder de adoração. Assim, a lacuna foi fechada pelos nossos jovens que se levantaram para a tarefa e a têm desempenhado com tanta dedicação e com tal zelo que faz a nós da antiga geração nos sentirmos tão orgulhosos e incentivados!

Quero voltar ao primeiro ponto que é a fome pela verdade, o amor à mesma, e o zelo em estudar a Palavra de Deus para descobri-la. Nós, Civilização Ocidental, ainda estamos muito mergulhados na “cultura” Pós Moderna onde a verdade é relativa e muito menos importante do que a forma. No entanto, vejo que o Espírito Santo não tira férias e ainda está trabalhando intensamente. Quando viajo ao Extremo Oriente e à América do Sul vejo que a fome e a busca da verdade na Palavra de Deus é a maior força motriz conduzindo a geração mais jovem, a liderança, e produzindo crescimento. Aqui está alguns dos sintomas desta obra do Espírito Santo, a quarta onda de avivamento nas igrejas:

  1. Profundo desejo e amor por Israel. Isso não foi ensinado no currículo denominacional tradicional. É algo que as pessoas têm recebido pela Palavra de Deus e pela obra do Espírito Santo apesar de suas doutrinas denominacionais e tradições.

  1. Desejo de aprender hebraico e em alguns lugares, grego. Não estou falando de pregadores ou pastores que estudaram nos seminários e universidades. Estou falando de discípulos comuns do Messias, com empregos comuns, e donas de casa que têm filhos pequenos para cuidar.

  1. Cristãos que estão dispostos a passar uma ou duas noites por semana em pequenos grupos na casa de alguém abrindo suas bíblias e cavando a Palavra de Deus para saber o que realmente está escrito lá.

  1. Discípulos do Messias que não estão interessados mais em chafurdar na política da igreja e em preconceitos denominacionais e não se importam de receber em suas casas e estudos bíblicos pessoas de diferentes experiências denominacionais, contanto que a Palavra de Deus seja o centro de sua discussão.

Estou certo de que há outras características para descrever este fenômeno do que o Espírito Santo está operando esses dias no Extremo Oriente e que deve estar em outros lugares, mas agora pode ser que  essas características sejam suficientes para você se questionar se isso é algo que gostaria de ver acontecer em seu dia-a-dia. O desenvolvimento de um amor de verdade é absolutamente essencial para uma caminhada fiel com o Senhor. “A vinda do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios da mentira, e com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos. É por este motivo, pois, que Deus lhes enviará a operação do erro, para darem crédito à mentira, a fim de serem julgados todos quantos não deram crédito à verdade; antes, pelo contrário, deleitaram-se com a injustiça.” (2 Ts 2:9-12)

Quando uma pessoa, uma igreja, ou uma denominação pára de amar a verdade incorre em grave perigo de que lhes seja enviado um forte engano para que possam acreditar em uma mentira e sofrer as conseqüências. A história está cheia de exemplos deste fenômeno e todos nós devemos estar cientes deste perigo para nós mesmos e para as nossas comunidades. Peço a Deus com profundo temor por mim próprio e por nossa comunidade para nunca deixarmos de amar, de procurar a verdade e de sermos honestos sobre isso. Um dos maiores perigos para a verdade é uma grande mentira que diz: - “Eu tenho a minha verdade!” – Não há tal coisa como “Minha verdade”. A verdade, por definição, é algo que deve ter comprovação de fatos e testemunhas. Alguém pode dizer: “Eu não estou doente, não tenho problemas mentais”, mas ele toma medicamentos para transtorno mental. Ele está doente ou não? Os maiores enganos são aqueles auto-infligidos e que podem ser verdade para os indivíduos, denominações, congregações, e às vezes até para nações. Eu peço a Deus para proteger a todos nós desse engano e para aumentar o amor pela verdade em todos nós, em nossas comunidades, e em nossas nações para que andemos na verdade e sejamos livres. Como diz o Senhor: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. A chave para esta afirmação é o enfático, “conhecereis a verdade”.  A única maneira de saber que você conhece a verdade é examinando os fatos. Sugiro que todos nós trabalhemos um pouco mais para descobrir os fatos e fugir dos mitos e dos “contos da carochinha”.

De Cingapura, se Deus quiser voarei para Hong Kong e de lá para a China para ensinar em dois seminários. Os estudantes da China são extremamente talentosos e têm grande zelo em aprender a Palavra de Deus. Eu estou entre os primeiros israelenses, e discípulos judeus de Yeshua a chegar à igreja oficial da China com uma mensagem de Restauração. Tony, e nossos queridos líderes coreanos se juntarão conosco nesta viagem à China e todos nós precisamos de seu apoio e de suas orações para esta viagem. Isso é extremamente importante porque estamos entre os primeiros a enfrentar o desafio e temos a carga de compartilhar o conceito de Restauração e do lugar de Israel no plano de Deus para a salvação a esta grande igreja da China.

Continuamos a orar por Udi. O nódulo dele encolheu significativamente e todos nos alegramos por isso. Ele ainda tem um longo caminho a percorrer e devemos continuar orando e apoiando-o, clamando ao Senhor por sua cura.

Em Cingapura, eu visitei o Sr. Abraham Goh no hospital.  Ele tem 96 anos, sua mente está afiada e muito cognitiva, mas seu corpo precisa de um toque da graça de Deus para cura. Por favor, orem por ele. Este homem é necessário aqui por alguns anos mais. Apesar de sua idade avançada há coisas que ele precisa fazer para sua família. Estou orando e peço a todos que orem rogando ao Senhor para acrescentar ao menos alguns anos à sua vida plena e rica Nele.  

Por favor, continuem a orar pela Rádio Kol HaYeshua. Recebemos algumas respostas interessantes de judeus religiosos que foram motivados através da Rádio a pesquisar, estudar a Palavra de Deus, e olhar para o Messias. Precisamos de mais energia, zelo e ensino concentrado para a Kol HaYeshua e para isso eu preciso estar mais em casa e ter mais paz de espírito. Orem por Oleg, que assumiu a responsabilidade total da Kol HaYeshua enquanto Udi está fora por motivo de doença. Ele está fazendo um bom trabalho, mas precisa da ajuda de Deus, como todos nós.

Falei a respeito da poda que nossa congregação está passando. Posso confessar-lhes que isso é muito difícil, mas também é muito necessário e há dor e alegria ao mesmo tempo. Os ramos tiveram que ser tirados para que novos e saudáveis ramos possam crescer. Estamos em oração e cheios de esperança pela renovação e revitalização que está chegando ao Netivyah e à congregação Roeh Israel e abençoamos a todos aqueles que saíram com uma medida cheia da bondade de Deus e de boa saúde. Precisamos de suas orações por esta fase de transição, de reconstrução e replantação, em que vemos um crescimento saudável chegando. Por favor, orem por nós dos quatro cantos do mundo, e também por Jerusalém e pela situação em todo o Oriente Médio.

Estamos em negociação para o início da construção de nosso prédio. Ainda necessitamos de mais fundos. O Bom Deus nos abençoou com a maioria dos fundos de que precisamos para a construção, mas agora precisamos de fundos para o interior, cozinha, móveis, ar condicionado, canalização e acabamentos. A soma que precisamos agora é de pelo menos 500.000,00 dólares. Tenho certeza de que o Senhor pode tocar alguns de vocês para contribuir com essa tarefa muito importante que será um testemunho e um local para os discípulos de Yeshua adorarem a Deus e aprenderem a Sua Palavra em Jerusalém, em um ambiente e estilo judaicos, e com a ênfase na congregação do primeiro século, isto é, assim como foi em Jerusalém nos tempos antigos, será agora em nosso tempo.

A distribuição de alimentos está indo muito bem e estamos alimentando um grande número de pessoas toda semana. Os alimentos distribuídos a cada família são suficientes para a semana toda. Yuda está realizando um grande trabalho juntamente com Nancy, Ludmila, Oleg, e às vezes, Daniel e Hannah na gestão das pessoas e a quantidade de produtos para cada semana. Orem por estes excelentes trabalhadores e por aqueles que vêm receber os alimentos. Oremos para que Deus abençoe a cada um deles, a fim de que tenham condições de repartir com outros e não precisem receber alimentos de nós ou de outros que estão fazendo o mesmo tipo de trabalho tão importante para os pobres de Jerusalém.

Continuem a orar pelos doentes crônicos entre nós: Ahuva, Leah, Ilana, Miriam, Sarit, Tanya, Liz, Paulo, Tim Tucker, Satu-Maria, Sara, Zvi, David. S., e Marcia.

Não se esqueçam de orar também por Danah, minha filha, e Noaam, minha neta. Elas necessitam de oração por saúde e por solução de problemas.

Todos nós devemos orar pela situação política em nossos países. Haverá eleição nos Estados Unidos em novembro e, em janeiro, em Israel. Oremos para que a mão de Deus possa dirigir e nomear os líderes certos para o nosso tempo nos dois países. Oremos também pela Síria e todo o mundo árabe, que está passando por mudanças tão dramáticas e grandes desafios nestes dias. Na Síria, o número de mortos ultrapassou 25.000 pessoas, a maioria das quais são civis, mulheres, crianças e homens idosos. Oremos para que a Rússia, China e Estados Unidos possam despertar suas glândulas humanitárias e fazer alguma coisa para parar a guerra na Síria e proteger o rei da Jordânia e as pessoas que realmente querem a paz e a liberdade para suas nações. Esta é uma oração importante para o bem de todo o Mundo, e os discípulos de Yeshua devem orar com todo o coração pelo mundo inteiro e não apenas por nossas próprias necessidades locais e pessoais.

Bênçãos a todos vocês e muito obrigado por estarem com o Netivyah e com Israel,

Joseph Shulam