quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Lista de Oração de Jerusalém, 3 de outubro, 2012


Por Joseph Shulam

Estamos no meio da Festa das Cabanas ou como algumas pessoas a chamam, a Festa dos Tabernáculos. Em hebraico esta festa é chamada de “Sucot”, e é uma das três principais festas da Bíblia. Ela é chamada também  a Festa da Colheita. A razão pela qual ela é chamada de Colheita é porque é a última festa antes do inverno chegar e após a primavera e verão, quando as culturas dos campos e das vinhas já estão recolhidas aos armazéns e aos silos e os tonéis de vinho também estão cheios. Precisamente neste momento de fartura e tranqüilidade a ordem é deixar sua casa permanente e confortável com um bom telhado que não tem goteiras quando chove e com janelas que bloqueiam os ventos, para construir uma estrutura temporária sem teto e sem janelas na qual você não estará protegido da chuva nem do vento.  Bem, existem alguns aspectos muito importantes nesta Festa de Sucot – Cabanas – Tabernáculos. Em primeiro lugar, Sucot é a celebração da nossa igualdade e unidade.  O ano todo nós moramos em casas, algumas são ricas, casas de campo, castelos, e algumas são pobres, lotadas e em ruínas. Quando construímos a Sukkah e comemos dentro dela – somos todos iguais e  ficamos  todos molhados quando chove.

Em segundo lugar, habitar na Sukkah é um lembrete para nós de que nesta vida somos todos turistas, peregrinos, nômades, vagando por esta terra árida. Não temos residência permanente neste mundo. Não temos coisa alguma em que nos apoiar neste mundo a não ser no Senhor nosso Deus. Essa ideia de que somos estrangeiros neste mundo e que estamos aqui só de passagem é algo de uma importância tão grande. Não podemos realmente aprender a confiar em Deus e em Suas promessas se primeiro não aprendermos a nos desligar e deixar de confiar em nossas coisas, casas e contas bancárias. Sucot é a última festa para nos lembrar de que somos todos como violinistas no telhado, nada é estável e nada é permanente neste mundo. O Apóstolo Paulo diz a mesma coisa de modo muito moderno: “Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que não se vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que não se vêem são eternas” (2 Cor. 4:18).

O terceiro ponto muito importante em Sucot  é o uso das “Quatro Espécies”. Ele é baseado no texto em Levítico 23:40 que diz: “No primeiro dia, tomareis para vós outros frutos de árvores formosas (cidra), ramos de palmeiras, ramos de árvores frondosas e salgueiros do riacho; e, por sete dias vos alegrareis perante o Senhor vosso Deus”. Essas quatro plantas, de acordo com a tradição judaica, devem ser seguradas em uma mão e balançadas em todas as direções.  Os gregos tinham uma divisão em duas partes – o preto e branco, o bom e mau, e nada mais. Os hebreus dividem a humanidade em quatro espécies – um que é bom, que tem bom cheiro e bom sabor – a cidra. O outro é sem cheiro e sem sabor – o salgueiro. O terceiro está, na verdade, na zona cinzenta – ele não é bom nem ruim – tem sabor e não tem cheiro, a tâmara. A quarta espécie é a murta que também é cinzenta – tem bom cheiro e não tem sabor. Quando uma pessoa tem as quatro espécies em sua mão, ela demonstra que estamos todos unidos e que cada um preenche o que falta no outro, então, quando estamos todos juntos, temos todos, bom cheiro e bom sabor. Esta é também uma lição muito importante que todos nós temos de aprender repetidamente.

O segundo significado das quatro espécies é a unificação do nome de Deus. Como você sabe que o nome de Deus em hebraico tem quatro letras, em grego é chamado “Tetragrammaton”, palavra que significa “quatro letras”. Então, quando um judeu segura essas quatro espécies em sua mão e sacode-as em todas as direções o que ele realmente tem em sua mente é unir o nome de Deus e estar unido com a identidade da Unidade de Deus. Isto é algo tão especial e significativo, participar na apresentação da unidade de Deus e demonstrar essa união através destas quatro espécies que complementam uma à outra.

A última coisa na Festa de Sucot está também no último dia da festa, como relatado no capítulo 7 do Evangelho de João – o último dia é a celebração da Torá (a Lei de Moisés) e também a festa de água. Há uma celebração da Torá de Deus e também da mudança de redação na oração. A partir deste dia – o último dia de Sucot começamos a orar diariamente por chuva.  Foi neste dia e nesta celebração que Yeshua disse aos Seus discípulos, conforme está escrito: “No último dia, o grande dia da festa levantou-se Yeshua e disse em alta voz: Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva” (João 7:37-38).

Então, você tem aqui um pouco do significado de Sucot – a Festa das Cabanas ou dos Tabernáculos.

Logo após o último dia da festa, temos uma mini-conferência para o planejamento do próximo grande evento para os judeus Marranos/Anussim. Teremos uma conferência de três dias e sessão de planejamento para a conferência principal. Teremos pessoas de vários países se reunindo para orar e planejar. Nós precisamos de sua oração por esta conferência para que seja bem sucedida e façamos planos práticos e sensatos. Queremos ter um grande evento que vai influenciar Israel a abrir as portas para esses descendentes de judeus que foram obrigados a se converter ao catolicismo.

Por favor, orem pela viagem que Márcia estará fazendo na próxima semana após a Festa dos Tabernáculos. Ela estará indo ao Ocidente para estar com Danah e em seguida visitar Barry e seus pais no leste do Tennessee. Eu irei para Singapura, primeiro, e, em seguida, para Hong Kong e de lá para a China, Coréia, e Japão. Estas viagens são longas e eu preciso de suas orações e ajuda para me manter saudável e forte e realizar um bom trabalho apresentando a Palavra de Deus.

Fizemos a licença de construção definitiva e agora estamos numa correria procurando um local para alugar para a congregação , temos que encontrar imóveis de aluguel para as lojas que estão garantidas por “depósito” de arrendamento em nossos edifícios,  temos que alugar um local para armazenamento, e todas essas coisas demandam  tempo e dinheiro. Sem a ajuda de Deus tudo será tão difícil! Precisamos de Sua intervenção e ajuda, por isso temos que clamar pelo Nome do Senhor rogando Suas bênçãos sobre nós na execução dessas tarefas. Esperamos começar a construir no início de 2013.

Com as bênçãos do Senhor vêm sempre os ataques do outro lado. Temos algumas graves perturbações em nossa congregação, mas ao longo do tempo tudo concorre para o bem daqueles que amam o Senhor. Esta é uma época de poda em nossa congregação e de concentração na preparação da próxima geração. Precisamos de suas orações por sabedoria e dedicação para conseguirmos manter a maioria de nossos membros, especialmente os jovens adultos e as famílias jovens ajudando-os a desenvolver seus dons e talentos. Quando o edifício estiver construído e terminado esperamos ter uma forte estrutura de jovens dedicados, disciplinados e treinados para avançar e crescer como profissionais em todas as áreas e dar um bom testemunho de sua fé.

Continuamos a orar pelos idosos e doentes em nossa congregação e entre os nossos amigos ao redor do mundo que nos pedem para orar por eles.

Em Jerusalém, temos as seguintes pessoas que precisam de oração por cura: Zvi e Sara, Sarit, Ahuva, Ilana, Leah, Marcia, David S., David K., e Tatiana. Em outras partes do mundo – continuamos a orar por Tim Tucker, Anne, Paulo, Liz, família Ishiida, Sra. Sadako, Danah, e Noaam.

Pedimos a todos que continuem a orar pelas finanças do edifício. Nós vamos ter que alugar um local para a congregação e também duas lojas para os inquilinos de arrendamento e tudo isso tem que acontecer antes de iniciarmos a construção.

Orem por Israel e por todo o Oriente Médio – tudo parece estar em crise entre todos os nossos vizinhos e Israel está no meio desse mar de ódio, de motins, de assassinatos, e sem a ajuda de Deus não temos chance alguma de sobreviver. O Irã é uma verdadeira ameaça para Israel e para a calma na região. Há duas orações que eu faço por Israel: A primeira – é para que nós, como nação nos arrependamos e busquemos o Senhor com todo o nosso coração e alma. Se nos arrependermos e voltarmos para Deus – eu creio que Ele vai cuidar de nossos inimigos como Ele fez nos dias de Moisés e Josué.  A segunda, é para que Deus opere um milagre e destrua nossos inimigos como Ele fez com o exército de Faraó na travessia do Mar Vermelho. Estou orando a Deus para fazer isso pela segunda vez. Um bom terremoto poderia resolver o problema da construção nuclear do Irã. Toda a instalação subterrânea para enriquecimento de urânio pode entrar em colapso em poucos segundos. Deus pode fazê-lo e Ele fez isso no passado para salvar Seus filhos.

Por favor, orem por todos nós, pelo trabalho do Netivyah e pela Congregação Roeh Israel. Estamos todos passando por transição e isso nem sempre é fácil.

Bênçãos a todos vocês e uma grande e maravilhosa alegria no Senhor,

Joseph Shulam