domingo, 22 de janeiro de 2017

Lista de oração de Jerusalém – 19 de janeiro de 2017


              A leitura deste Shabat é do livro de Êxodo. No último Shabat terminamos a leitura do livro de Gênesis e estamos começando do capítulo 1 de Êxodo. Várias coisas no primeiro capítulo de Êxodo me deixam muito empolgado. Uma delas é o papel de duas mulheres egípcias que estavam trabalhando como parteiras entre as israelitas. Essas duas mulheres são pouco conhecidas entre os cristãos. Eu nunca ouvi ninguém em uma igreja dizer muito sobre elas. Antes de eu falar sobre essas duas parteiras, eu quero compartilhar com vocês um versículo chave para entender a mentalidade israelita: “Mas quanto mais os afligiam, tanto mais se multiplicavam, e tanto mais cresciam; de maneira que se enfadavam por causa dos filhos de Israel.” (Êxodo 1:12). Os egípcios tinham a impressão de que se eles tornassem a vida dos israelitas mais difícil, “e os egípcios faziam servir os filhos de Israel com dureza” (Êxodo 1:13). Lembre-se que no verso 12 acima – quanto mais os afligiam, mais eles multiplicavam e cresciam. Somos um povo cabeça dura e não cedemos para quem quer nos fazer mal e aterrorizar nossas famílias. A coisa mais perigosa que pode acontecer com a nação judaica é dar a ela uma vida fácil, com abundância e relaxamento. E isso pode ser verdade não só para os judeus, mas para todas as pessoas em geral. Se não temos desafios e alguns problemas na vida, nos tornamos gordos, preguiçosos e egoístas e o pior, nos tornamos complacentes e assimilados. O Faraó deu uma vida muito fácil aos israelitas. Deu a eles a terra de Gósen, que é a parte mais fértil do Egito. Eles estavam sob a proteção de José. A vida era fácil e eles se multiplicaram e cresceram, ao ponto dos egípcios sentirem inveja deles e se sentirem ameaçados por sua quantidade, riqueza e poder. Este período de prosperidade durou por algumas centenas de anos. No entanto, os israelitas não perderam seu traço mais característico. A mesma atitude e tenacidade teimosa podem ser vistas no Novo Testamento, no livro de Atos, após cada perseguição e dificuldade que os discípulos enfrentavam. Nos primeiros capítulos de Atos, lemos algo assim: “E crescia a palavra de Deus, e em Jerusalém se multiplicava muito o número dos discípulos, e grande parte dos sacerdotes obedecia à fé.” (Atos 6:7). Os israelitas não seriam salvos baseados em sua atitude. Eles precisavam da ajuda de Deus e de um “salvador” para tirá-los do Egito, e quando eles clamaram a Deus, Ele viu sua angústia e enviou o Salvador.
              A segunda coisa que quero destacar da leitura deste Shabat são as duas parteiras das hebréias, Sifrá e Puá. Foi ordenado a elas que matassem todo bebê menino que nascesse e deixassem viver apenas as bebês meninas. “As parteiras, porém, temeram a Deus e não fizeram como o rei do Egito lhes dissera, antes conservavam os meninos com vida.” (Êxodo 1:17). Neste verso há um princípio que muitas vezes é esquecido. Temer a Deus algumas vezes, eu diria na maioria das vezes, quer dizer não temer a homem e sua autoridade, isso inclui governantes injustos e maus. Quando Sifrá e Puá foram descobertas, quando souberam que elas não estavam cumprindo a ordem e não estavam matando os bebês meninos, diz: “Então o rei do Egito chamou as parteiras e disse-lhes: Por que fizestes isto, deixando os meninos com vida? E as parteiras disseram a Faraó: É que as mulheres hebréias não são como as egípcias; porque são vivas, e já têm dado à luz antes que a parteira venha a elas.” (Êxodo 1:18,19). Na história de Êxodo, vemos que por causa da filha de Faraó, uma mulher não judia, que fez a mesma coisa, desobedeceu a lei da terra, enganou a seu pai, o Faraó, e salvou um bebê hebreu que estava boiando em uma cesta no rio Nilo – Moisés sobreviveu e foi criado como um príncipe do Egito e foi usado por Deus para salvar o povo de Israel e tirá-los do Egito. Que nós, como discípulos de Yeshua, possamos ter o mesmo tipo de fé, cheia de temor de Deus, muito mais do que temor de homens, sentados em nossa zona de conforto do politicamente correto, não fazendo nada em favor da verdade e da justiça. Orem para que vocês e seus líderes, presbíteros e mestres em suas igrejas e sinagogas tenham o temor do Senhor e defendam o que é certo e justo em suas comunidades e países.
              Os Estados Unidos têm um novo presidente! Este novo presidente Donald Trump fez várias promessas incluindo promessas que envolvem diretamente Israel e Jerusalém. Todos nós precisamos orar para que Deus conceda ao Presidente Trump sabedoria, entendimento e fibra moral para manter todas as suas promessas e defender os princípios que ele proclamou durante a campanha eleitoral. Orem para que o Presidente Trump faça a América grande mais uma vez, o tipo de país que defende os valores bíblicos e princípios morais de Deus, como a verdade, a caridade, igualdade e cuidado com o pobre e sofredor. Eu estou orando pelos Estados Unidos e por sabedoria divina para fazer o que é certo e justo, não só de acordo com os Estados Unidos.
              Orem pelas transmissões da rádio Kol HaYeshua. Temos novos desafios que, com a ajuda de Deus, nos ajudará a espalhar as Boas Novas em hebraico de uma forma melhor e mais eficaz. Orem para que o Senhor abra as portas e traga as pessoas certas para fazer tudo o que é necessário.
              Por favor, continuem orando por Israel como nação! Estamos enfrentando as mesmas dificuldades que o resto do mundo e nossos governantes precisam tanto de oração por sabedoria e direção quanto os dos Estados Unidos e de outros países.
              Eu acabei de falar com Barry, meu filho. Ele está se sentindo melhor, mas ainda vai demorar para a ferida em seu abdômen sarar e fechar por completo.  Ele ainda não está apto para voltar a trabalhar. Oramos por cura da ferida, sem infecções ou outros problemas. Nossa oração é para que o Senhor apresse a cura e o fechamento dessa ferida aberta e para que o Barry possa voltar ao trabalho o mais rápido possível.
              Como vocês sabem, orar por pessoas que não conhecemos é considerado uma grande Mitzvá (privilégio). Este princípio é muito judaico e muito presente no Novo Testamento. Fazer o bem a quem não pode retribuir o favor é um privilégio que agrada a Deus mais do que fazer o bem a pessoas que você conhece e que são próximas e que mais cedo ou mais tarde irão retribuir aquele favor de alguma forma.
              Então, pro favor orem pelos funcionários do Netivyah. Todos têm trabalhado muito e estão procurando por mais um jovem, talentoso, cheio de energia, que saiba trabalhar com mídia e relações públicas, que seja fluente em hebraico e em inglês e que esteja disposto a trabalhar tanto quanto os outros estão trabalhando agora. Agradecemos suas orações para que encontremos uma pessoa assim ou para que o Senhor envie alguém que seja apto para o trabalho.
              A polícia de Israel está em mau estado – parece que todos estão procurando por lama para jogar uns nos outros. Nosso Primeiro Ministro e sua família estão sendo perseguidos por meses. Estou orando para que nosso sistema judiciário aja de forma sensata e honesta. Em minha opinião, o maior bem que Israel tem é o seu sistema judiciário eficiente e honesto. Estou orando para que Israel seja um país que faz o bem, que seja honesto e não corrupto. Isto tem a ver com a forma como Deus quer que esse país seja conduzido. O verdadeiro poder desta nação e de outras nações também está em agradar a Deus e receber sua bênção nas ações e eventos da nação. Especialmente para Israel, esses princípios são essenciais. Se Deus não está conosco nos abençoando como nação, então não temos chance contra o ódio de nossos inimigos. Apenas com a ajuda do Senhor temos esperança e Deus só vai nos ajudar, nos abençoar e nos dar a vitória se formos luz para as outras nações. Por favor, orem para que Israel seja luz para as nações novamente, um símbolo de justiça e verdade, que anda corretamente perante Deus e os homens.
              Orem pela Danah e Noam, nossa filha e neta. Eu sei que é difícil para elas essa vida de mãe solteira e viver entre a casa da mãe e do pai. Orem por sabedoria e saúde emocional para ambas. Acima de tudo, orem para que minha neta valorize tudo o que sua mãe faz por ela e que ela entenda as dificuldades da vida que ambas têm que superar.
              Por favor, continuem orando pelo Sr. Chung e a irmã Lee. Orem especialmente pelo nosso querido irmão Goh, sua família e seu trabalho. Orem pela irmã Christy, na Coreia, pela irmã Laurel, em Israel e pelo irmão Daniel L. e sua empresa e pelo irmão Michael Kenzevic e sua empresa. O Senhor de todas as coisas também é gracioso e amoroso, cheio de graça e de verdade. Eu não O entendo, mas eu sei que Ele é fiel e justo e bondoso em todos os seus caminhos. Precisamos no contentar com todos os julgamentos e bênçãos de Deus e sempre agradecê-Lo pelo amargo e pelo doce, pelas Suas bênçãos e também pelos Seus castigos.
              Nossos queridos irmãos em Murfreesboro, Tenesse, carecem das suas orações: Gloria D., Emmet M., Bobby M., Joe M., e especialmente pelo fortalecimento de Francis B., Anne B. e Ernest B. – demonstramos fidelidade quando oramos por nossos irmãos e irmãs.
              Continuem orando pela nossa querida irmã Ruby, pelo dr. John McRay, dr. George Howard, dr. Tim Tucker, Anna H., Anne-Mirjam, Anna Majia e Satu-Maria e por força para Keijo, Salme, Erkki e Sirpa.
              Aaron Hook e Yuri Marianenko, Sarit, Marcia Shulam, David Stern, Ilana, Leah, Ahuva Bem-Meir, Naomi, Sinai Tuuli, Liz J., Paulo, Clara, Takeo Sensei, Tomoko San, Daisuke Muraoka. Alguns irmãos no Japão estão sofrendo com câncer: Toru San e Curtis Sensei. Continuem orando por esses irmãos e irmãs. No Brasil, oramos pelos pais do Marcelo e por todos os nossos queridos irmãos e irmãs nas congregações, especialmente pelo Paulo.
              Orem pela Marcia. Ela tem que lidar com a diabetes e a artrite reumatóide e tem tido alguns desafios com sua memória. Orem por Horace e June Saunders, pais da Marcia. Eles precisam de oração por saúde e histamina.
              Orem por mim também. Acabei de chegar da Holanda. Foi um prazer ter comunhão e ensinar na Beit Yeshua por três dias. O assunto foi um estudo comparativo das diferenças e similaridades dos ensinos de Yeshua e do apóstolo Paulo. É um tópico complicado, mas eu espero ter feito um bom trabalho apresentando e argumentando sobre o assunto. Parece que as pessoas gostaram e muitos disseram ter aprendido coisas novas. No entanto, eu fui para a Holanda com uma sinusite e voltei para Israel com uma sinusite.
              Deus abençoe a todos vocês e tudo o que vocês fazem, especialmente o que vocês fazem para o Reino de Deus.

              Joseph Shulam