terça-feira, 31 de março de 2009

Existe uma estória muito interessante no Talmud. O Talmud é uma coleção de materiais que relatam as discussões e argumentos dos rabinos sobre problemas envolvendo a Torá e suas práticas. Aqui temos uma dessas estórias:

I. Quando o rabino Eliezer foi preso com suspeita de “Minut” (ser um cristão), eles o levaram perante a corte para ser julgado pelo tribunal. O “Hegemon” (o juiz romano) disse a ele: “Como um sábio como você pode estar envolvido em uma bobagem como essa?”
II. O rabino disse: “Eu reconheço o (Justo) Juiz”.
III. O Hegemon (juiz romano) pensou que o rabino estava falando a seu respeito (o elogiando), mas o rabino reconheceu apenas a seu Pai que está no céu. O Juiz então respondeu: “Como você me reconheceu como um juiz justo, você está absolvido”.
IV. Quando o rabino chegou em sua casa, seus discípulos foram até ele para consolá-lo, mas ele não quis consolo algum. O rabino Akiva disse a ele: “Meu senhor, me permite dizer algo que é proveniente das coisas que o senhor mesmo me ensinou”?
V. O rabino Eliezer respondeu: “Fale”.
VI. O rabino Akiva disse a ele: “Talvez alguma questão relacionada ao Minut (sectarismo / cristianismo) tenha vindo até você (17A) e provido algum tipo de satisfação ou prazer, e sob esta acusação o senhor foi preso”.
VII. O rabino Eliezer então responde: “Akiva, você me lembrou de algo. Uma vez eu estava no Mercado superior de Sepphoris e achei uma certa pessoa de nome Yaakov de Kfar Sachanaya, que me disse: ‘Está escrito na tua Torá: “Não trarás o salário da prostituta (...) à casa do SENHOR teu Deus... (Dt 23:18). Qual é a lei para se construir uma latrina com tais fundos para o sumo sacerdote?” Como eu nada respondi, ele continuou: “Assim eu fui ensinado (por Yeshua de Nazaré): “Pois o salário da prostituta foi ajuntado por ela, e por salário de prostituta ele deve voltar” (Pv 5:8). Eles vieram de um lugar sujo e para um lugar sujo devem retornar”. Pois bem, esta frase me deu um certo prazer, e por causa disso foi acusado de ser um cristão, violando o que está escrito na Torá: “Longe dela seja o teu caminho” – referindo-se não a prostituta, mas sim ao Minut; “e não se chegues à porta da sua casa” – isso se refere ao governo romano” (Pv 5:8) [T. Hul. 2:24).

Este texto conta uma estória datada em algum momento durante o início do segundo século d.C, quando o rabino Eliezer foi preso acusado de “Minut” (se tornar um cristão neste contexto). Quando o juiz (Hegemon) o interrogou, o rabino respondeu “ao justo juiz”. Apesar do rabino Eliezer estar se referindo a Deus, o juiz interpretou como se o elogio fosse a ele mesmo, libertando então o rabino. Mas o ponto principal da estória foi a prisão do rabino em primeiro lugar. O Rabino Akina sugere que talvez um dos minim (cristãos) tenha falado uma palavra de minut (cristianismo / sectarismo ) ao rabino Eliezer que o agradou, e este fato tenha levado a sua prisão. O rabino Eliezer recorda que foi exatamente o que aconteceu, quando nas ruas de Sepphoris ele conheceu um certo Jacó de Sechania. Este Jacó lhe disse palavras de minut em nome de “Yeshu” (Jesus) ben Pandera, as quais trouxeram alegria ao rabino (uma variante da mesma estória usa o nome “Pantiri” ao invés de “Pandera”).

É claro que esta estória é fictícia, sendo criada pelos rabinos do Talmud para engrandecer o rabino Akiva, mostrando que o mesmo até mesmo corrigiu o rabino Eliezer, sendo mais honrado do que ele. Esta estória usa os ensinamentos de Yeshua, os quais atraíram o rabino Eliezer para a fé imediatamente.

Mas a coisa que achei mais interessante está na primeira parte do texto. O rabino Eliezer disse ao juiz romano: “Eu reconheço o Justo Juiz”! O juiz romano pensou que o rabino se referia a ele, quando na verdade ele se referia a Deus sendo “Justo”. Eu realmente creio que Israel tem um dos melhores sistemas judiciais, e pode-se confiar nas cortes deste país para um veredicto equilibrado. Ontem tivemos nosso dia no tribunal (por meses estamos lutando contra os advogados da comunidade ortodoxa de Jerusalém pela aprovação do projeto de expansão de nossa sinagoga. Pela lei municipal eles não poderiam negar tal autorização, mas sempre há alguma artimanha por parte desses advogados para delongar e atrasar a aprovação final da prefeitura). O que tenho a dizer para vocês que tem orado por nós é que veremos que a oração leva o clamor dos pobres e dos doentes e dos que sofrem de injustiça perante o verdadeiro Juiz, o Senhor Poderoso de Israel. Agora, o Juiz de nosso caso está lendo e revendo todo o processo que lhe foi entregue, e o veredicto será dado logo depois de Pêssach (Páscoa). Temos que continuar orando e pedindo para vermos a bondade e a justiça do Deus de Israel em nossas vidas.

Continuamos orando por nossos doentes e pelos necessitados em nosso meio. Páscoa se aproxima e estamos nos preparando para abençoar cerca de 300 pessoas com ofertas especiais. Nosso “sopão” estará fechado durante Páscoa, mas nos dias que antecedem esta festa estaremos abençoando estas pessoas com a provisão de Deus para que não passem fome durante os dias de Páscoa. O número de necessitados está crescendo e temos dado o nosso melhor para continuar abençoando os pobres de Jerusalém com comida.

A lista de pessoas que precisam de oração específicas para cura é a mesma da semana passada. Por favor, orem pelos seguintes irmãos e irmãs que estão doentes e precisam de oração: Agi e Sally são duas mulheres israelenses muito simpáticas, mas ambas estão com câncer. Precisamos orar pela cura dessas mulheres. Elas precisam ver a mão de Deus movendo-se em suas vidas de forma que a cura física também trará cura para a alma. Continuamos nossas orações por Sarit, Tzvi e Sara, Miriam, Lea, Ahuva e Ilana, irmãs de nossa congregação em Jerusalém. Temos que orar também pelo Paulo no Brazil, por Ruby em Oklahoma e pela irmã de Liz em Tenesse. Peço a todos vocês que continuem suas orações em prol de Márcia, minha esposa, e Danah, minha filha, e por todas as outras pessoas que precisam de força e histamina para continuarem a fazer o que é certo, bom e santo na vontade de Deus.

Gostaria também de acrescentar nestas orações uma irmã muito especial de Jerusalém que sofre de tinnitus, um problema com o ouvido interno. Esta irmã tem mais de 80 anos e tem sido fiel em nossa congregação, sendo também uma fonte de luz para os que já passaram por aqui. O nome dela é Ilana – por favor apresentem o nome desta irmã perante o trono da misericórdia de Deus e peça a Ele por cura, da mesma forma como vocês carinhosamente tem feito por minha esposa Macia e por todos os outros desta lista.

Nossa congregação tem passado por alguma dificuldade e nós precisamos das suas orações para transformar nosso choro em alegria e nossas dificuldades em vitória! Vejo essas dificuldades ao realizar a limpeza de Pessach em nossas vidas e em nossos relacionamentos. Orem também pela “Roê Israel” e pelo “Netivyah”.
Não se esqueçam de orar pelo Estado de Israel e pela crise financeira mundial.

A todos o meu Shalom desde Jerusalém,

Joseph Shulam

segunda-feira, 30 de março de 2009

NOVAS POSTAGENS!!!

Shalom a todos,

Como estou de volta à terra "deitada eternamente em berço esplêndido", decidi postar para vocês updates semanais de Israel sob o ponto de vista do rabino messiânico Joseph Shulam. Shulam reside em Jerusalém há mais de 60 anos, e lidera a mais antiga sinagoga de judeus messiânicos de Israel, chamada "Roê Israel" - Pastor de Israel. Como escrevi no post anterior, o rabino Shulam é pesquisador e mestre em arqueologia bíblica pela Hebrew University of Jerusalem. Ele viaja pelo mundo ensinando sobre a necessidade de diálogo entre Judeus e Cristãos, bem como o reconhecimento das raízes históricas e judaicas do Cristianismo (raízes estas mascaradas e desprezadas no Cristianismo desde o início da era comum).

Rabino Joseph B. Shulam
Assim, a partir desta semana colocarei as traduções da Newsletter do rabino Shulam para que vocês possam continuar tendo notícias semanais da Terra Santa, mas com comentários deste rabino que crê em Yeshua como sendo o Messias de Israel, nunca deixando de viver sua vida como JUDEU, sendo sempre fiel às tradições dadas ao nosso povo pelo Eterno de Israel. Aliás, o rabino Shulam é considerado por muitos (acadêmicos judeus e teólogos de várias partes do mundo, incluindo Israel) como o maior teólogo vivo em nossos dias.

Vale a pena conferir. Um grande abraço a todos e meu caloroso Shavua Tôv (Boa Semana),

MZandonna