quarta-feira, 22 de abril de 2009

Pessach terminou! A vida em Israel está voltando ao normal. As pessoas estão voltando a usar seus utensílios de cozinha normalmente e estão comendo pão novamente. Comer matzá por sete dias não é tão fácil como alguns pensam, pois o matzá é um pão muito pesado – um pedaço de matzá equivale em calorias a um pão e meio. Tão logo pessach terminou na noite do 7º dia, as pessoas correram às padarias para comprar pães, bolos e outras guloseimas.

Em Israel as festas acontecem em grupos. Temos o grupo que começa com Rosh ha Shana e termina com os oito dias de Sucôt (Tabernáculos) – tendo o Yom Kippur entre estas duas festas importantes. O grupo da primavera (no hemisfério norte) começa com Purim e é seguida por Pessach. Após Pessach temos a lembrança do Holocausto, um dia depois o dia memorial pelos soldados que pereceram em todas as guerras de Israel e em seguida celebramos a independência de Israel.

Tradicionalmente, em nossa congregação, temos um grande piquenique no dia da independência. Nestes dias parece que todos em Israel estão “em todos os montes e debaixo de toda árvore verde”, fazendo churrasco e assando carne defumada. Israel completa 61 anos em duas semanas e o sentimento de muitos e muitos israelenses é que estamos vivendo um verdadeiro milagre. Até mesmo David Ben Gurion (cujo nome ukraniano antes de imigrar para Israel era David Green), disse que “uma pessoa que não crê em milagres não é um realista”.

Imagine que o Estado de Israel sobrevive contra todas as chances. Primeiro, de dentro do Estado de Israel: pessoas de mais de 104 países se uniram em um pequeno pedaço de terra entre o Mediterrâneo e o Mar Morto. Temos uma mistura impressionante de pessoas, um mosaico de cores e culturas. Na Europa, durante os anos negros do racismo nazista, era comum pessoas dizerem: “Ele tem cara de judeu!”. Venha a Israel hoje e veja os judeus etíopes, os louros escandinavos, os judeus marroquinos e os pardos de origem iraquiana, prove das diferentes comidas e culturas e me diga o que é comida judaica!

O segundo milagre é a posição de Israel na comunidade científica mundial. Todo o mundo árabe recebeu um total 8 prêmios Nobel. Nós judeus recebemos mais de 120, sendo que 8 deles foram para judeus israelenses. Muitas das invenções do século XX que agraciam nossas vidas na área medicinal e tecnológica foram desenvolvidas e inventadas em Israel por judeus que tiveram suas famílias queimadas nos fornos de Bergen Belzen, Aucshwitz, Sobibor e Ravensbrook, localizado fora de Berlin. Israel é uma nação criada das cinzas que cobriram a Europa e que por mil anos ainda lembradas. Eu mesmo sou filho de judeus que viveram no período nazista da Europa. Minha irmã, que era 10 anos mais velha do que eu quando começou a II Guerra, até antes de sua morte costumava comprar todos os dias um pedaço grande de pão e uma garrafa de leite, mesmo morando sozinha e não sendo capaz de comer e beber tudo isso todos os dias. Quando perguntei à ela: “Por que você compra tanta comida?”, ela respondeu: “Durante a Guerra éramos pobres e tínhamos pouca comida; não dava pra comprar nem um pedaço de pão por semana. Hoje eu posso comprar pão e leite todos os dias, e quero aproveitar toda a fartura que não tive quando criança”. Claro que isso era uma espécie de tolice, mas eu posso entender minha irmã e a geração que sobreviveru à era do ódio na II Guerra e que construiu uma nação na terra de Abraão, Isaque e Jacó: a Terra de Israel. Como o Fênix que surge das cinzas para a vida, o povo judeu retornou para esta terra que estava abandonada, transformando-a em um jardim que produz alimento para a geração atual de “Gourmes” europeus.

O terceiro motivo de celebração de seus 61 anos de independência é que Israel sobreviveu a SETE guerras contra exércitos árabes que sempre eram no mínimo 13 vezes maior do que o nosso exército. Isto também é um milagre que os árabes até hoje não conseguem entender.

Eu poderia continuar com o louvor a Israel e outras razões para celebrarmos os 61 anos de nossa independência, mas eu tenho que admitir que Israel como Estado está longe de ser perfeito. Muitos erros foram cometidos internamente e exteriormente, contra judeus e também contra os árabes. Mas tudo isso ainda faz parte do milagre chamado ISRAEL – o retorno da semente de Abraão para a terra que Deus prometeu a ele e a sua semente para SEMPRE. (Veja Genesis cap. 12, 13, 15 e 22 e outras passagens: se o que Deus prometeu for realmente verdade, aparecendo em mais de 12 passagens só em Genesis, esta promessa de posse deve ser levada mais a sério pelos crentes).

Gostaria de dizer também que o que escrevi acima sobre Israel não tem nada a ver com doutrinas de denominações cristãs de pré-mid-pós ou amilenismo. Estou descrevendo a realidade de hoje que é o Estado de Israel como nação predominantemente JUDAICA que tem vivido um sonho de milhares de anos. Esta realidade atual não irá se encaixar nas controvérsias doutrinárias das Igrejas cristãs que dividiram-se e subdividiram-se tendo como motivo meras especulações escatológicas.

Todos precisamos orar pelo Estado de Israel bem como precisamos orar pelos países que vivemos e onde desfrutamos da liberdade que Deus nos deu. É muito bom orar por nossas nações e por nossos governantes.

Eu gostaria que vocês orassem também pelos judeus perdidos de Portugal, os Judeus Marranos que foram forçados a se converterem ao catolicismo, mantendo sua identidade judaica escondida até os dias de hoje. Nós precisamos fazer alguma coisa para ajudar esses judeus que têm sido oprimidos por mais de 500 anos. O governo judaico não deve forçar estes judeus à conversão ao judaísmo ortodoxo para serem novamente aceitos por Israel. Isto seria exatamente a mesma coisa que a igreja católica fez durante os dias da inquisição. Israel já aceitou judeus negros da Etiópia, tribos da Índia na fronteira com o Nepal e um arco-íris de cores e raças como judeus. Não podemos cometer novamente os erros históricos do passado. Nós, o povo judeu e o Estado de Israel, precisamos receber e dar as boas vindas a estes judeus como eles estão, trazendo-os novamente ao lar sem forçá-los a se converterem ao judaísmo pois eles já são judeus!

Preciso da oração especial de todos para que possamos ter o suporte financeiro para nosso projeto em Portugal. Na verdade, em alguns dias eu irei a Portugal me encontrar com meus queridos irmãos do Brasil para organizarmos juntos o próximo passo neste projeto. Se você está interessado em reivindicar e restaurar os judeus Marranos e os Anussim novamente à Terra de Israel, nos ajude a financiar este evento histórico que iremos organizar.

Preciso que vocês continuem as orações em favor de nossos irmãos e irmãs que sofrem de doenças crônicas. Ha alguns dias eu recebi uma carta do Dr. TIM Tucker que está hospitalizado na Finlândia por muitos anos. Ele pediu a todos vocês que continuem orando por ele pois cremos que nosso Deus é um Deus de milagres que tudo pode. Para Ele não há limites!

Continuamos a orar pelos seguintes irmãos ao redor do mundo: Aggi, que enfrenta o câncer e Dubi, uma velha amiga que também enfrenta esta doença. Oramos por Kathy, no Colorado, Ruby em Oklahoma e por Paulo em Curitiba, Brasil. Orem também por Sally, uma simpática senhora israelense que também está com câncer. Em Jerusalém, orem por Sarit, Tzvi e Sara, Miriam, Lea, Ahuva e Ilana, irmãs preciosas de nossa congregação. Peço que continuam a orar para que Deus cure minha esposa Márcia, mostrando Sua graça também para minha filha Danna e para minha neta Noaam.

Por favor orem por nossa congregação, a Roeh Israel, em Jerusalém. Precisamos ser guiados e fortalecidos por Deus para podermos melhorar, nos tornando melhores servos para Deus e Seu reino. A mesma oração também para nosso Ministério Netivyah e sua dedicada equipe. Todos nós precisamos melhorar nestes dias de crise.

Identificamos algumas avarias estruturais em nosso prédio que têm feito o mesmo afundar. Nesta semana as obras começarão para buscar a causa destes problemas. Isto será um gasto muito grande para nós, mas a segurança de nossos membros vem em primeiro lugar. Ainda que não saibamos a extensão da obra, peço a todos que orem para que possamos arcar com estas despesas e vencer este desafio.

Também precisamos encontrar uma solução para o trabalho humanitário que temos feito provendo comida para os pobres e necessitados de Jerusalém. Precisamos do direcionamento de Deus para podermos abençoar, tendo as respostas para esse problemas.

Que as bênçãos de Deus estejam sobre vocês e suas famílias. Esta é minha oração da Cidade do Grande Rei.

Joseph Shulam

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Estamos na semana de Pessach e Israel está em espírito festivo. O que muitos israelenses fazem durante os feriados é viajar e ter contato com a natureza fazendo um grande piquenique, churrasco e muita comida, relaxando e vislumbrando as flores do campo que cobrem os montes deste país. Nosso sêder de Páscoa foi um dos melhores que já fizemos em nossa congregação. Limitamos o número de pessoas que participariam de nosso Sêder para 60, mas acabamos tendo 75 pessoas, a grande maioria membros de nossa congregação. Ainda assim, este número foi o menor que já tivemos em muitos anos. No ano passado tivemos mais de 100 pessoas. Neste ano também não cobramos nada das pessoas que participaram, mas exigimos que todos com menos de 75 anos de idade trabalhassem pelo menos 5 horas limpando, cozinhando e preparando nossa congregação para Páscoa. Assim, nosso prédio este ano ficou completamente limpo, sem um grão sequer de fermento. A comida estava deliciosa! Cozinhamos salmão e cordeiro com vegetais. Tudo estava tão bom que não sobrou quase nada!

O mais interessante sobre Pêssach e outras festas bíblicas é que elas são festas que lidam com a natureza, com a história, com a família, com renovo espiritual, com limpar as nossas vidas e voltarmos para as coisas mais básicas, mas importantes. Então, Páscoa é além de uma festa da Primavera (no hemisfério norte), uma celebração do Êxodo dos filhos de Israel do Egito, uma festa histórica da família onde limpamos nossas vidas do fermento da malícia e nos enchemos de pureza e bondade. Ou seja, quando você celebra Pêssach você está essencialmente guardando o mandamento de Paulo a Igreja em Corinto: “Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós. Por isso, celebremos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade.” (I Co 5:7-8). Notem que o verso 8 é, na verdade, uma ordem, um verbo no imperativo: “…celebremos pois a Festa”!

No Egito, as autoridades prenderam dezenas de terroristas do Hezbolah (financiado pelo Irã e liderado por Nasserallah, uma espécie de xeique carismático que capturou Beirute e que agora dita as regras para o governo Libanês). Esta captura de terroristas é de grande importância pois o Egito é uma nação árabe e também muçulmana, e esses terroristas estavam planejando fazer duas coisas. Primeiro, eles planejavam o contrabando de armas e foguetes à região de Gaza, para os militantes do Hamás. Segundo, eles planejavam desestabilizar o governo do presidente egípcio Mubarak, espalhando o terror e ajudando outras irmandades muçulmanas. Oro e peço que você também ore pelo governo egípcio e pelo presidente Husseni Mubarak para ter coragem e perseverança para lidar com estes terroristas do Iran e do Hizbolá, mostrando às nações árabes o extremismo islâmico representa perigo também à causa árabe ao redor do mundo.

Também oro pelo governo de Israel e pelo sistema de segurança de nosso país, para que possam descobrir planos terroristas antes que eles aconteçam. Na semana passada um carro com muitos quilos de explosivos foi encontrado minutos antes de explodir próximo a um shopping center no centro de Haifa. A bomba foi desativada e ninguém se feriu… um verdadeiro milagre! Se esta bomba explodisse, o espírito de Pêssach teria sido bem diferente, e centenas de famílias teriam que lidar com a morte e a desgraça. Então, precisamos orar por esta situação e contra as atividades terroristas. O Deus que nos livrou da escravidão no Egito também é capaz de nos livrar desta onde mundial de ataques terroristas.

Aqui está a lista de pessoas que precisam diariamente de oração: Em Israel – oremos por dois bebês que nasceram na semana passada agraciando a família Stern. Abençoamos a família Stern e oramos por sucesso e prosperidade da parte do Senhor por estas novas vidas. Acabo de ouvir que uma tempestade terrível atingiu a cidade de Murfreesboro, no Tennessee. Oramos para que os cidadãos de Murfreesboro e por nossos irmãos e irmãs de lá.

Os enfermos e doentes por quem temos orado nos deram boas notícias, e temos que continuar nossas orações por eles. Nos EUA, orem por Kathy Porth, de Denver. Kathy tem suspeita de ter câncer, e uma biópsia veio negativa, mas os médicos sentem que ela vai precisar de outra biópsia. Oramos para que esta segunda biópsia também dê negativo, e para que as bênçãos do Eterno venha sobre esta família. Continuamos a orar por Ruby e Liz, lembrando que a irmã de Liz já está se recuperando do que era considerado um câncer incurável! Por favor, continuem a orar por minha filha Danah e minha neta Noam. Eles precisam muito da graça do Eterno em todo momento de suas vidas. Também oramos pelo Paulo, um jovem muito simpático do Brasil que precisa de cura e da mão misericordiosa do Eterno.

Em Israel, continuamos nossas orações por aqueles com doenças crônicas: Tzvi e Sara, Ahuva, Liora, Lea e especialmente pela Ilana, que tem problemas em seus ouvidos. Ela foi diagnosticada com tinitus, uma doença do ouvido interno que não lhe dá descanso sem a utilização de pesados medicamentos. Ilana é uma guerreira de oração e um poderoso exemplo de fidelidade em nossa congregação. Continuem também a oração por Miriam, Sarit e Márcia, minha esposa. Também oramos por um jovem chamado Samuel, da cidade de Tiberíades. Samuel tem câncer e os irmãos de Israel o ajudam muito. Ergam este precioso jovem em oração!
Enquanto o mundo todo economiza, nós do Netivyah queremos fazer mais e não menos do que temos feito em termos de atividades e eficiência de nosso serviço de ajuda social, sem no entanto, aumentar nossas despesas. Precisamos da ajuda de Deus para realizarmos esta façanha, e acima de tudo da inspiração do Espírito Santo de Deus para nos motivar a sermos mais dedicados, mais sinceros e mais fiéis ao nosso chamado. Isto não é tão simples, uma vez que nossa equipe já é dedicada, sincera e muito fiel. Aprendi que, no reino de Deus, uma árvore que já dá muitos frutos não diminui sua produção, mas sim aumenta ainda mais! Quero ver nosso ministério se tornar uma organização ainda mais eficiente, fazendo mais com menos, e por isso precisamos muito das vossas orações e vossas bênçãos.

A cidade de Tel-Aviv completa nesta semana 100 anos de fundação, e peço a todos que orem por esta grande cidade e por nossos irmãos e irmãs de lá. Tel-Aviv é a metrópole de Israel e surgiu das dunas do Mediterrâneo. Em 100 anos esta cidade se tornou um exemplo de muitas coisas boas, bem como um exemplo de grandes coisas relacionadas a restauração do povo Judeu de volta à sua terra natal.

Muito obrigado por todas as orações em prol da Paz de Jerusalém e pela salvação de Israel e do povo judeu, bem como pela salvação dos povos árabes nesta região deste mundo de Deus. Agradecemos muito por toda a ajuda recebida de vocês!

Shalom a todos,

Joseph Shulam

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Pessach (Páscoa) está à porta! Nesta semana, na quarta-feira à noite, estaremos nos reunindo para recontar a história do Êxodo. Este ano esperamos ter menos pessoas em nosso Sêder do que no ano passado, uma vez que estamos muito ocupados com tantas coisas que nos deixam sempre na correria. Na semana passada tivemos nosso julgamento, e apesar de sabermos que o Justo Juiz fará justiça e retidão para conosco, é muito estressante e caro apelar para a justiça. Este não foi um tribunal comum, mas sim a segunda instancia apenas um nível abaixo da suprema corte israelense. Talvez tenhamos que apelar para a suprema corte, e o faremos de cabeça erguida e com nossa confiança no Deus de Israel e Yeshua, nosso rabino, professor, mestre, salvador e muito mais!

O evangelho de Matheus começa com a história do nascimento de Yeshua, mas imediatamente muda o cenário para Páscoa, quando João Batista vê Yeshua vindo ao rio Jordão e exclama: “Vejam o Cordeiro de Deus que leva consigo os Pecados do mundo”! Imediatamente após identificar Yeshua como o Cordeiro de Deus, João O conecta com a história de Páscoa. Lendo Êxodo capítulo 12:1-6, podemos surgir com algumas questões lógicas e gramaticais. O texto diz: “...o guardareis até ao décimo quarto dia deste mês, e todo o ajuntamento da congregação de Israel o imolará no crepúsculo da tarde.”(Ex 12:6). No texto em hebraico o problema é bem mais evidente. Deixe-me mostrá-lo a vocês: Primeiro, a idéia que “TODA a congregação de Israel o imolará”. Como pode TODA a congregação de Israel imolar o Cordeiro Pascal? É impossível mais de uma pessoa ter a faca nas mãos para matar o cordeiro. Então, apenas algumas pessoas com treinamento adequado poderiam imolar o cordeiro da maneira bíblica Kasher. Segundo, a palavra hebraica para “O” (imolará) teria que ser no plural, pois haveria muitas famílias que imolariam cordeiros. Em outras palavras, haveria muitos milhares de cordeiros que seriam imolados no crepúsculo da tarde por muitos homens com facas afiadas, e não apenas UM cordeiro que TODO o Israel imolaria coletivamente, como o texto original afirma.

Agora, quando a Torá escreve alguma coisa que é logicamente ou gramaticalmente difícil de ser entendido, o Espírito Santo quer que “escavemos” um pouco mais fundo para acharmos a verdade. Então, o que seria este Cordeiro (no singular) que deveria ser imolado por toda a Assembléia da Congregação de Israel? Rashi, o grande comentarista judeu, faz uso de uma referencia antiga que afirma que “o mensageiro de uma pessoa é igual a pessoa que o enviou”. Ou seja, quando alguns homens eram especialmente designados para sacrificar o cordeiro sem mácula, eram como se TODO o Israel estivesse sacrificando o cordeiro, pois eles representavam a Congregação de Israel. Então, este cordeiro imolado por TODO Israel foi o mesmo cordeiro cujo sangue cobriu os umbrais das portas das casas dos israelitas que seriam salvos da morte dos primogênitos. É por isso que Yeshua é chamado de Cordeiro de Deus! Na verdade, o apostolo Paulo diz: “Lançai fora o velho fermento, para que sejais nova massa, como sois, de fato, sem fermento. Pois também Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi imolado. Por isso, celebremos a festa não com o velho fermento, nem com o fermento da maldade e da malícia, e sim com os asmos da sinceridade e da verdade.” I Co 5:7-8).

Este texto está relacionado com a Festa de Pêsssach, quando as mulheres judias se estressam limpando, limpando e limpando seus lares, até minutos antes dos primeiros convidados para o Jantar de Pessach chegarem. Este texto me diz duas coisas importantíssimas: A primeira é que Cristo é a nossa Páscoa – e isso significa que o Messias é nosso Cordeiro Pascal simbólico. A segunda coisa que aprendo com este texto é que não temos apenas que retirar o fermento de nossas casas, mas também nos esforçarmos para limpar o fermento da malícia e da maldade de nossas vidas.

Não faz diferença se você celebra o Sêder de Páscoa ou não, mas faz muita diferença se você se dispor a limpar a malícia e a maldade, substituindo-os pela sinceridade e pela verdade. Esta não é uma tarefa fácil, mas com o exemplo de Yeshua e com o poder do Espírito, esta não é uma tarefa impossível.

Estamos precisando de suas orações pois a maioria de nossos funcionários está terrivelmente cansada e frustrada com desafios bons e também ruins. Gostaríamos de fazer muitas coisas, como o pacote especial de Páscoa para os soldados do exército de Israel e a publicação da nova edição da revista Ensinando de Sião antes de Páscoa, mas não foi possível devido às muitas tarefas e desafios que enfrentamos no momento. Para a maioria das pessoas Páscoa é um feriado, mas para a nossa equipe Páscoa e outros feriados acabam sendo fontes de muito estresse. Pessoas que se comprometem a ajudar, a limpar e a cozinhar simplesmente não aparecem no horário ou não aparecem jamais. Assim, poucas pessoas acabam ficando com muito trabalho, e a maioria participa da Festa e volta para suas casas felizes sem nunca saber como é trabalhoso preparar uma festa para muitos. Por favor, orem por nossa congregação!

Existem tantos desafios que enfrentamos em Israel que só existem aqui. Por uma lado nós queremos ver a Restauração da fé e da vida da Igreja do Primeiro século. Queremos conhecer e entender o mundo de Yeshua e dos Apóstolos e estudar as raízes judaicas de nossa fé. Mas por outro lado não queremos ver pessoas se tornarem tão apegadas e atraídas por tradições judaicas modernas que acabem por negar sua fé em Yeshua. Para nós, abir mão de nossa fé em Yeshua é tão catastrófico quanto Esaú vender seu direito de primogenitura por um prato de sopa. Temos o Rei, Salvador e SENHOR, a Tora de Deus andando e falando em carne e em espírito. Seria muito triste retirar o Rei de seu trono e colocar uma tradição rabínica em seu lugar. Eu tenho visto isto acontecendo em Israel, antes de ter visto no Brazil, na Finlândia e nos EUA, e tenho feito todo o possível para manter os discípulos de Yeshua próximos de Yeshua e próximos de sua identidade Judaica sem abrir mão da fé em Yeshua ou dos ensinos dos Apóstolos. É possível e importantíssimo termos uma fé forte e inegociável em Yeshua, nosso Messias, e ao mesmo tempo cavar fundo para beber água limpa das fontes judaicas as quais nos ajudam a entender melhor os textos do Novo Testamento. Orem por nós!

Orem por Aggi, uma amiga que enfrenta o câncer, e por Dubi, uma velha amiga que também enfrenta esta doença. Levantamos a vida de Kathy, em Denver no Colocaro, Ruby, em Oklahoma e Paulo em Curitiba, Brazil. Sally é uma mulher de Israel especial, e também está com câncer. Em Jerusalém, temos que continuar nossas orações por Sarit, Tzvi e Sara, Miriam, Lea, Ahuva e Ilana, irmãs queridas de nossa Congregação em Jerusalém. Peço também a você que continuem orando pela cura de minha esposa Márcia e para que Deus mostre sua misericórdia para com minha filha Danah e minha neta na Califórnia.

Israel tem um novo governo com o Sr. Benjamin (Bibi) Netanyahu como primeiro Ministro e 33 novos ministros. É o maior governo que Israel já teve. Todos aqui oramos para que o nosso Deus use este governo para o bem e para a paz de nossa terra.

Há algumas famílias em nossa congregação que precisam de emprego e apoio financeiro. Temos feito o nosso melhor no Netivyah para dar suporte moral e financeiro a estas famílias, e gostaríamos de contar com as vossas orações pelos desempregados de Israel e dos EUA. Todos devemos orar por sabedoria aos nossos governantes e por aqueles que tomam decisões que afetam nossas vidas e as vidas de milhões de pessoas. Precisamos orar por esta “recessão” (ou seja lá o nome que você dê a esta crise) para que ela passe rápido da face da Terra, dando estabilidade à economia, o que resulta em liberdade para as pessoas. Medos de totalitarismos, os quais historicamente sempre sucedem crises financeiras, sempre ocorrem. Mas nós, como discípulos de Yeshua neste mundo, temos que “bater à porta de Deus” dia e noite para que Sua justiça e bondade prevaleçam neste mundo. A única Arca de Noé que temos hoje em dia é a comunidade dos Santos, a qual na nossa língua é chamada de “Igreja”. Levantemo-nos em nossas comunidades e permitamos que o Senhor e guia de nossas almas nos proteja e nos sustente em cada tarefa e propósito para qual Yeshua veio ao mundo: Procurar e salvar os perdidos!

Feliz Páscoa e Primavera para todos vocês do hemisfério norte! Feliz Páscoa e um maravilhoso outono para meus irmãos do Brasil e outros países do hemisfério sul.

Joseph Shulam