quinta-feira, 27 de outubro de 2011

A Lista de Oração de Jerusalém - 27 de outubro de 2011

por Joseph Shulam
Se Deus quiser, esta noite vou voar para Seul, na Coréia e de lá para Hong Kong. O programa que os nossos bons amigos em Hong Kong fizeram está cheio de oportunidades maravilhosas para compartilhar e ensinar a Palavra de Deus. De Hong Kong, o Senhor permitindo, voo para Wuhan, China para ensinar em um seminário da igreja oficial do governo da China que é chamado de "The Three Self Church". Esta é uma oportunidade rara que pouquíssimas pessoas tiveram e eu realmente preciso de suas orações e seu apoio. A China não é apenas uma potência industrial e financeira. Também é um centro muito importante para o futuro Reino de Deus. Depois de Hong Kong e China, eu vou para Seul, na Coréia, onde há alguns irmãos e irmãs maravilhosas que estão esperando por mim. Depois da Coréia vem o “Fórum Ásia”, em três cidades no Japão e termina em Seul, Coréia. O programa é muito exigente fisica e espiritualmente. Preciso de suas orações para boa saúde, força, uma mente cheia da Palavra de Deus e o mover do Espírito Santo a cada momento. A Ásia é o lugar futuro do reavivamento e do super crescimento das Boas Novas.
Marcia está na Califórnia com Danah e Noaam e as três estão tendo um bom tempo juntas. Por favor, orem por Marcia e para Danah e Noaam para que elas estejam fortes e saudáveis ​​e que Deus abençoe todas as três neste tempo juntas.
O progresso para a Conferência dos Marranos em dezembro de 2012 está progredindo e mais pessoas estão fazendo um compromisso de orar e apoiar e participar nesta conferência.Temos compromissos da Itália, Espanha, Portugal, Brasil, Coréia, Japão, Holanda, Finlândia, Alemanha, Estados Unidos, Inglaterra e, claro, Israel. Este é apenas o começo e se Deus quiser esperamos agitar a amoreira e apresentar alguns frutos para estas vítimas da perseguição católica. Muitos foram queimados, torturados, mortos e tiveram suas propriedades confiscadas. O pior de tudo foi o ódio e a inimizade que isso trouxe entre o povo de Deus e o mundo chamado cristão. Essa nunca foi a vontade de Deus ou o ensino de Yeshua e este terrível pecado do anti-judaísmo mantém muitos milhares de judeus fora de Yeshua e longe de Deus até os dias de hoje. Por favor, continuem a orar por esta conferência e divulgue-a a seus amigos através de nossa página web (www.netivyah.org), clicando neste link você poderá receber seu DVD sobre a nossa conferência em Portugal em Dezembro de 2010.
Por favor, continuem a orar pelo Netivyah, para o pessoal do Netivyah, para os novos trabalhadores no Netivyah, para seus irmãos e irmãs em Israel e também para todos os de Israel.
Deus abençoe a todos e que Ele o prospere em todos os seus caminhos,
Joseph Shulam

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Lista de Oração de Jerusalém, 20 de outubro de 2011.

Lista de Oração de Jerusalém, 20 de outubro de 2011.

Por Joseph Shulam

O que aconteceu em uma semana! Israel finalmente viu a libertação de Gilad Shalit o soldado jovem por quem a maioria de Israel orou e fez campanha pela sua libertação. Israel trocou 1027 terroristas sanguinários criminosos pela libertação deste soldado. Não há dúvida que de um ponto vista estratégico a libertação desses terroristas, que enviaram suicidas para matarem Judeus em restaurantes e cafés, ônibus, centros comerciais e em casas particulares, não parece ser um ato sábio. As estatísticas mostram que pelo menos 40% desses terroristas voltarão a agir criminosamente e buscarão meios de matar mais judeus. Esta troca de 1027 terroristas por um solitário soldado israelense que foi seqüestrado e mantido em cativeiro em um buraco pequeno e tão profundo que até mesmo o serviço de inteligência de Israel com todos os seus recursos não conseguiu encontrá-lo. Por mais de cinco anos, o público israelense orou e fez tudo o que é possível para convencer o governo a fazer esta troca. O argumento é de que Israel não pode abandonar até mesmo um soldado solitário e que deve fazer tudo o que for possível e até mesmo negociar com os terroristas e mostrar que para nós vale a pena trocar a vida de um jovem pela libertação de tal número de terroristas assassinos. Para Israel a moralidade de defender nosso soldado é muito mais preciosa que a ameaça do que esses terroristas possam fazer no futuro. Quando penso nisso imediatamente vem à minha mente a declaração feita pelo Sumo Sacerdote em Jerusalém há mais de dois mil anos atrás: “Ora, Caifás era quem havia declarado aos judeus ser conveniente morrer um homem pelo povo” (João 18:14). Este Caifás era o Sumo Sacerdote em Jerusalém e seu túmulo foi descoberto lá há alguns anos. Imagine só o que faria Caifás se ele estivesse vivendo em Israel hoje. Será que ele trocaria os 1027 terroristas julgados, condenados e encarcerados por um soldado israelense que foi seqüestrado e mantido em cativeiro em um buraco no chão por cinco anos? Pensem na lição que podemos aprender com isso e alegrai-vos porque Israel escolheu resgatar Gilad Shalit e trocar 1027 terroristas mulçumanos por um judeu.

Hoje também Muammar Kaddafi foi ao encontro de seu criador com uma bala na cabeça. Na Líbia estão comemorando, mas eu sinto um profundo desejo de estar orando pela Líbia, Síria, Egito e Iêmen. Isso que chamam de Primavera Árabe poderia se transformar em uma coisa maravilhosa para o mundo inteiro e para Israel, e também o mais provável é que sem a ajuda de Deus seja algo que poderia se transformar em um Monstro Árabe. Os árabes/mulçumanos em 10 anos já mudaram a face do mundo com seu poder de terror quando bombardearam as torres gêmeas do World Trade Center em Nova York. Desde então nossa vida não é mais a mesma! O lugar onde você mais sente isso é nos aeroportos ao redor do mundo inteiro. Até mesmo na cidade de Manaus na Amazônia, você tem que passar pela segurança, tirar os sapatos, colocar as suas malas na máquina e, muitas vezes tê-las abertas e revistadas. Precisamos orar ao Deus de Israel pedindo-LHE para assumir o controle de tudo o que está acontecendo nestes países árabes e transformar esses movimentos revolucionários em algo que seja uma bênção para as pessoas dessas nações e para o mundo. Este é realmente um assunto pelo qual devemos orar e pedir a Deus para intervir. Este é o tipo de situação como a do argumento de Abraão com Deus sobre o estado de Sodoma e Gomorra. Você pode lê-lo no capítulo 18 de Gênesis. Precisamos pedir a Deus que procure pelo menos 50 homens ou mulheres justos em cada um desses países e poupe-os de cair como maçãs maduras nas mãos de forças extremistas islâmicas que farão com que a vida dos cidadãos desses países fique insuportável e também tornarão a vida muito mais difícil para Israel e para o mundo. Ore pela liberdade da fé e da democracia nesses países árabes!

Hoje foi também o “último dia da festa” dos Tabernáculos / Sucot. Este é o dia em que terminamos a leitura da Torá no final do livro de Deuteronômio e imediatamente rolamos o rolo para trás e começamos de novo em Gênesis, desde o início, mas é também o dia em que mudamos as bênçãos e começamos a pedir para que a chuva venha abençoar a terra.

Tivemos um culto maravilhoso e comemoramos a Torá e a Palavra de Deus e o novo começo. Por favor, orem por todos os discípulos de Yeshua na terra de Israel.

Márcia minha esposa está na Califórnia com Danah nossa filha e Noaam nossa neta. Orem por elas, por favor, pedindo a Deus que as guarde e as abençoe.

A questão da conferência Anussim / marrano está pegando velocidade. Temos o apoio de irmãos da Itália, Espanha e do Brasil e estamos começando a fazer alguns contatos e conexões muito significativos em Israel. Temos de trabalhar duro e orar muito para o sucesso desta campanha para trazer os Anussim de volta para casa em Israel. Alguém me disse: Somente os loucos tentam fazer o impossível, e você Joseph, é louco. Sim, eu tenho uma firme convicção de que o que parece impossível para o mundo é muito possível e até fácil para o Senhor Deus de Israel. Deus prometeu que a diáspora de Sefarad / Espanha retornará à Terra de Israel e ao deserto de Negev. Então, eu acredito na Palavra de Deus. Acredito que isso vai acontecer exatamente como Deus disse que iria acontecer. Precisamos mobilizar os nossos esforços e nossos recursos e começar a orar e a contribuir para que este próximo esforço possa trazer os Anussim e sua promessa primeiro ao conhecimento do mundo e depois trazê-los para a terra de Israel.

A condição de nossos queridos irmãos que estão envelhecendo e precisam de cura e de nossas orações continua a mesma. Devemos orar por Ahuva que está muito frustrada por não poder ouvir. Ilana, Leah, Sarit, Miriam, Zvi, Sara, são todos mais idosos e precisam da força e cura de Deus. Temos os dois Davids da nossa congregação, e Naama, Tania e Lusmila, todos sofrem de doença crônica e precisam de sua oração por cura. Ruby está sofrendo de dor crônica, Tim Tucker está sofrendo de esclerose lateral amiotrófica, Paulo está sofrendo de transtorno de estresse profundo. Todos estes precisam de uma bênção especial de cura de Deus, porque Ele é o único que pode ajudá-los.

Na próxima semana não vou escrever esta lista de oração, porque estarei a caminho da Coréia e Hong Kong para ensinar. Preciso de suas orações por boa saúde e proteção contra qualquer problema nesta viagem longa que começará em Hong Kong e continuará na China, Coréia, Japão e de volta à Coréia e para casa. É uma viagem de ensino quase que diariamente em seminários e conferências e eu necessito da bênção e proteção de Deus.

Também a equipe do Netivyah e a liderança da Roeh Israel necessitam de orações especiais pela temporada em que estarei ausente. É uma viagem de um mês longo e, embora os irmãos sejam muito bons todos eles precisam de suas orações e das bênçãos e proteção de Deus contra quaisquer problemas. O pessoal do Netivyah sempre precisa de suas orações. Enfrentamos grandes desafios e grandes oportunidades de grandes avanços que Deus está preparando em Jerusalém.

A Rádio Kol HaYeshua está produzindo frutos e, embora não podemos falar muito sobre isso, posso dizer que as pessoas estão ouvindo as Boas Novas pela Rádio Kol HaYeshua e estão respondendo e hoje até tivemos a visita de uma pessoa em nossa congregação, porque ele nos ouviu ensinar pela rádio. Por favor, orem e apóiem a única estação de rádio falando ao coração do povo de Israel as Boas Novas de Yeshua.

Obrigado por suas orações e por todas as boas ações que você tem feito para abençoar Israel e o povo judeu.

Deus abençoe a todos!

Joseph Shulam

domingo, 23 de outubro de 2011

Lista de Oração de Jerusalém

Por Joseph Shulam

Na quinta-feira passada estivemos no Supremo Tribunal de Israel. O recurso contra nós foi ouvido por três juízes da Suprema Corte. Deveríamos dizer apenas o mínimo. O Supremo Tribunal de Israel é muito diferente do que eu imaginava. Os juízes eram muito informais em seu debate e até mesmo na maneira que eles se sentavam em suas cadeiras. Eles foram simpáticos com os advogados de ambos os lados e fizeram comentários de brincadeira com os advogados e uns com os outros. Houve muita discussão entre os juízes e os advogados e, na verdade de uma forma maravilhosa porque foi quase como uma conversa de família na noite de sexta-feira ao redor da mesa de Shabat. O veredicto dos juízes será dado dentro de alguns meses, mas o meu sentimento pessoal é que temos a lei do Estado de Israel do nosso lado e se Deus quiser, vamos vencer. A oposição exagerou grosseiramente a situação a respeito da força do Netivyah e dos judeus messiânicos e torceu a intenção do Netivyah, mas suponho que eles tinham que fazer isso, a fim de nos fazer soar como os conspiradores dos Protocolos dos Idosos de Sião. Não creio que seu plano vai funcionar com esses juízes ou com a Suprema Corte de Israel. Mas, neste momento a única coisa que podemos fazer é orar para que a vontade de Deus seja feita.

Com relação à cidade de Jerusalém e ao processo de licenciamento para permissão de construção, o mesmo está em andamento e, apesar da oposição estar fazendo tudo o que pode para nos atrasar e causar obstrução ao projeto de construção, nós estamos seguindo em frente. Vamos construir e como a oposição está fazendo o seu melhor para nos atrasar ou nos parar vamos fazer o nosso melhor para progredir e exigir nossos direitos todos de acordo com as leis democráticas e nossos direitos civis no Estado de Israel. Precisamos de suas orações e seu apoio para construir uma autêntica sinagoga do primeiro século de judeus discípulos de Yeshua.

Israel não é o Egito! No Egito desde março de 2011, cerca de 200 mártires cristãos e várias igrejas foram queimados. O Governo Militar egípcio está fazendo quase nada para parar esta violência sectária e a perseguição aberta aos cristãos. E o mais incrível é que o chamado mundo cristão não está fazendo nada para ajudar e apoiar seus irmãos cristãos no Egito. Na verdade, a perseguição aos cristãos no Egito vem acontecendo há mais de 60 anos. Os cristãos no Egito e em outros países árabes não podem construir novos prédios para a Igreja, e no Egito nos últimos 60 anos eles não têm sido capazes nem mesmo de remodelar ou efetuar reparos em suas igrejas. Houve mártires da fé no Egito ao longo de todos esses anos, e até mesmo nós conhecemos um americano da Califórnia que esteve em Israel para uma temporada e no Egito, ele foi martirizado por pregar as Boas Novas. No momento tudo o que podemos fazer é orar para que os Estados Unidos e a Europa, os países chamados cristãos, possam acordar e “cheirar as rosas” e compreender que o que o mundo está enfrentando não é uma primavera árabe, mas sim, uma revolução radical islâmica que é alimentada pelo ódio aos judeus e aos cristãos. O chamado “Ocidente” tem que acordar e começar a tomar todas as medidas possíveis para mudar esta perseguição e a negação dos direitos civis aos cristãos. O Ocidente deve iniciar uma ação imediata ao começar a pregar as Boas Novas aos árabes e mulçumanos em seus próprios países, e continuar com as restrições e sanções, nos negócios e finanças, para esses países e governos que perseguem os cristãos e judeus. A justiça será feita por Deus no final, mas vai ser feita para ambos os lados se aqueles que afirmam ter a luz continuarem a escondê-la e não fizerem uso dela. Basta olhar para a cidade de Belém da Judéia. Belém tinha uma maioria de cristãos, há 30 anos. Os mulçumanos os perseguiram, pressionaram, ameaçaram e, como ninguém os deu apoio eles fizeram suas malas e saíram de Belém. Agora há apenas 15% de cristãos na cidade. A mesma coisa acontece em Jerusalém. O número de cristãos diminuiu muito. As igrejas precisam acordar em toda a Europa e Estados Unidos e pressionar seus representantes no Congresso a fazerem algo sobre esta situação que é uma verdade também na Europa. A primeira coisa a ser feita deve ser pregar as Boas Novas à população árabe e mulçumana nas cidades da Europa. Devem pregar forte e falar a verdade em amor e não ter medo ou ser intimidados pelas ameaças de violência e morte que os mulçumanos fazem contra quem eles não gostam. Apenas pensem que a Dinamarca teve tais tumultos por causa de um cartunista que fez uma charge de Maomé em um jornal, ou de M. Rushdi um iraniano que escreveu o livro “Versos Satânicos”. Ele ainda está escondido por medo morrer. Os cristãos estão fazendo muito pouco para salvar a vida de um mulçumano que se converteu ao cristianismo e está pregando as Boas Novas no Irã. Os iranianos são empenhados a executá-lo e tirar-lhe a vida porque ele está pregando as Boas Novas de Yeshua – o príncipe da vida. Devemos orar pela situação no Oriente Médio e pedir a Deus a Sua intervenção. Ele pode fazê-lo com um tsunami, com uma tempestade, com um terremoto, com fogo, água ou vento. Mas, a nossa oração deve ser para que Deus use Seus servos fiéis para pregar as Boas Novas aos mulçumanos começando com aqueles que estão vivendo em seu quintal, em suas cidades, participando de suas escolas, frequentando suas universidades, e trabalhando em seus escritórios, em Nova York, Washington, Dallas, Los Angeles, San Francisco, Chigado, Denver, e Mobil – e especialmente em Detroit, Michigan e Toledo, Ohio. É claro que o mesmo princípio é verdadeiro para Londres, Paris, Genebra, Oslo e Estocolmo.

O Senhor permitindo, Marcia estará viajando para os Estados Unidos para visitar os nossos filhos e sua família. Por favor, orem por sua saúde e para que ela faça uma viagem tranqüila e segura.

Se o Senhor permitir, estarei viajando para o Extremo Oriente perto do final deste mês. O Senhor abriu algumas portas muito raras na China e eu estarei ensinando em igrejas e seminários oficiais do governo. Isto é muito especial porque me dá a oportunidade de apresentar o conceito de Restauração e teologia para a liderança cristã do interior chinês que não é uma parte da igreja subterrânea, mas uma parte das igrejas apoiadas pelo governo oficial, que são realmente o maior grupo de cristãos na China. Minha viagem terá início em Hong Kong onde terei uma oportunidade de ter comunhão e ensinar alguns irmãos muito queridos e exortá-los a continuarem a orar pela salvação de Israel. De Hong Kong irei para a província de Hubei na China, e de lá para a Coréia para ensinar vários seminários em diferentes igrejas que de uma forma tão amorosa têm apoiado o Netivyah e muitos outros ministérios em Israel. De Seul na Coréia, irei ao Japão para o Forum Messiânico da Ásia em 2011, e de lá voltarei a Seul, para ensinar na Universidade CAU. Esta é uma universidade secular que tem mais de 30.000 alunos. Como você vê, eu preciso de suas orações pela minha saúde, segurança em todas essas viagens e pelo sucesso nos ensinos; que eu possa tocar muitas almas e trazer avivamento e encorajamento para muitas pessoas. Orem também pelo ministério Netivyah e sua equipe em Israel e pela liderança e membros da Congregação Roeh Israel em Jerusalém. A boa notícia destes dias é que Israel finalmente assinou um acordo com o Hamas na Faixa de Gaza para o retorno de Gilad Shalit nosso soldado que foi seqüestrado há cinco anos pelo Hamas e mantido em algum lugar subterrâneo. Receberemos Gilad Shalit e entregaremos 1.000 terroristas com sangue em suas mãos em troca deste jovem cabo israelense. Entre os 1.000 terroristas que serão libertados estão os que assassinaram Rehavaam Zeevi – Ghandi, e aqueles que mataram Nachshon Waksman a sangue frio, e os arque-terroristas que provavelmente voltarão a ser ativos no terror. Esta troca não tem lógica e pode não ser tão inteligente quando se pensa na agenda principal do terrorismo, mas como judeus quando se trata de nossos filhos e nossos soldados nós permitimos nossos valores morais e as emoções determinarem nossas atitudes. Esta é uma história antiga e você pode vê-la em toda a Bíblia. Como judeus somos espertos em relação a coisas que não envolvem nossos filhos e nossos soldados são nossos filhos. Todos nós precisamos orar, antes de tudo para que o acordo que foi assinado por Israel seja realmente cumprido, e em segundo lugar, para que Deus cuide desses terroristas e Israel saiba o que fazer em relação a esses que serão libertados da prisão e voltarão para os caminhos do terror e continuarão a planejar e a executar atos de violência contra cidadãos inocentes, mulheres, idosos e crianças.

Ainda estamos lutando pela atualização da Radio Kol HaYeshua e pela obtenção de novos compromissos para a mesma. Estamos fazendo um bom trabalho apresentando o ensino da Palavra de Deus para o povo do Oriente Médio, mas precisamos de alguns jovens produtores que sejam talentosos e comprometidos e estejam dispostos a trabalhar e apresentar a mensagem da verdade, amor e esperança aos nossos companheiros da comunidade que fala hebraico em todo o Oriente Médio.

O programa de Distribuição de Alimentos tem sido muito elogiado pelas centenas de pessoas que receberam alimento de boa qualidade especialmente para as Grandes Festas. Várias pessoas telefonaram e em lágrimas elogiaram o trabalho do programa de distribuição de alimentos do Netivyah. Por favor, continuem a orar e a apoiar este programa muito especial e único em Jerusalém.

Continuamos a orar pelos enfermos entre nós. Orem conosco pelos irmãos: Ahuva, Leah, Ilana, Miriam, Sarit, Sara, Zvi, David S., David, Ruby, Liz, Paulo, Ishiida San, a Sra. Sadako, Merav, e Marcia. Não se esqueça de orar por todos aqueles que você conhece pessoalmente e sabe que estão enfermos e precisam de cura.

Orem por aqueles que estão sofrendo por estresse financeiro profundo. Estamos fazendo o que podemos para ajudar os nossos irmãos que estão desempregados e em necessidade, mas temos que pedir a Deus por eles. De nossa parte faremos tudo o que estiver ao nosso alcance.

Deus abençoe a todos e feliz festa de Sukkoth! Lembre-se que a nossa vida aqui nesta terra não é um castelo de pedras, mas uma semelhança. Somos todos violinistas no telhado!

Joseph Shulam

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Shalom queridos irmãos e irmãs em Cristo,

É com este desejo de paz e unidade entre os discípulos do Messias de ISRAEL que componho esta mensagem endereçada a todos os que acompanham o trabalho do Ensinando de Sião e a visão da Restauração do Corpo de Cristo nos quatro cantos do planeta, os quais, assim como eu, foram lavados e remidos pelo Filho de Deus, Yeshua (Jesus) nosso Rei e Senhor, Deus conosco.

Como vice-presidente do Ministério Ensinando de Sião e um dos presbíteros da Congregação Har Tzion, compartilho do chamado principal desta casa o qual é a Restauração da IGREJA e a Salvação de Israel. Com zelo e muito temor tenho buscado expressar esses objetivos através de meus últimos estudos durante os cultos na Congregação Har Tzion, estudos estes que são sempre disponibilizados para exibição pública através do site YOUTUBE (http://www.youtube.com/user/tvsiaobrasil) e retransmitidos a milhares de pessoas o redor do mundo. É sobre uma revelação que julgo de fundamental importância para a UNIDADE do CORPO de CRISTO que desejo compartilhar nesta mensagem. Não sou detentor de nenhuma verdade absoluta nem julgo ser melhor do que ninguém. Sou apenas um simples servo que busca viver o Evangelho de forma simples porém original, a exemplo do que lemos no Livro de Atos. Assim, apresento-lhe esta mensagem com um pequeno estudo sobre um importante elo de ligação presente na Igreja do 1º século o qual julgo necessário ser restaurado em nossos dias.

Em minha ministração no dia 27/08/2011, durante a Parashá Reê, esbocei um pensamento com o tema: "Uma Proposta de Ruptura Identitária”. Neste estudo, propus basicamente que se NÓS, como membros do Corpo de Cristo, não restaurarmos o ensino apostólico de IDENTIDADE ECLESIÁSTICA como “aproximados a Israel” e “co-herdeiros e co-participantes” com os Judeus nas promessas feitas entre Israel e Deus, não alcançaremos a tão sonhada união entre os membros do Corpo. Expliquei que este ensino (doutrina) era e é um dos elementos que promove a unidade entre os membros do Corpo, uma vez que a seiva da raiz deve estar presente em todos os ramos ligados a ela. Se um ramo (membro) não compartilha da seiva da raiz, não pode se sentir parte da mesma árvore. Se todos os membros não são alimentados pelos mesmos nutrientes, eles jamais se sentirão parte de um mesmo corpo. Pois bem, segundo os argumentos do apóstolo Paulo em sua carta aos Romanos nos capítulos 09, 10 e 11, a raiz representa as promessas, heranças e alianças feitas por Deus a Israel. O próprio Cristo, para quem o recebe, faz parte desta seiva (Rm 9:4-5). A raiz compartilha desses elementos com todos os ramos (naturais ou enxertados) através da seiva. Se todos os ramos não recebem a mesma seiva (estando ligados à mesma raiz), não se sentirão parte da mesma árvore.

Esta seiva comum (as promessas e alianças feitas entre Deus e Israel) representa a doutrina que nos esboça um entendimento correto sobre quem é Cristo e sua missão em “quebrar o muro de separação” e nos “aproximar a Israel” (Ef cap. 2). Esta doutrina também nos ensina quem somos nos planos de Deus. Além de perdoar nossos pecados e nos garantir o dom gratuito da Salvação, Cristo também possui esta missão, segundo o Apóstolo Paulo em Ef 2:2-9, a saber, nos enxertar através de Seu próprio sangue nas promessas, nas alianças e nas heranças dadas a Israel. Ele nos faz cidadãos do Reino com uma nova identidade Nele: somos agora Família de Deus (Judeus e não-judeus, juntos em Cristo). Se nossa compreensão da Obra de Cristo se resumir apenas em sua missão redentora e perdoadora (e nos esquecermos de sua missão como aquele que nos “aproxima de Israel” – Ef 2:13) - teremos uma visão incompleta de sua missão como Messias. Basta ver que nos discursos evangelistas de Pedro e do Apóstolo Paulo para comunidades de não-judeus, a mensagem da cruz sempre era precedida pela explicação das promessas dadas aos patriarcas e profetas de Israel. Isto quer dizer que Israel para Paulo e Pedro era mais importante do que a Cruz? Logicamente que não! Mas esta contextualização histórica da mensagem do evangelho era fundamental para uma compreensão correta de Cristo, Sua obra redentora e da nova identidade que os que receberiam a Cristo estavam prestes a adquirir. (At 13:16-41).

Acho inadmissível algumas pessoas usarem um aspecto da obra de Cristo para se distanciarem de outro igualmente importante. Usam Cristo para dividir e anular Sua própria missão. Querem apagar a missão do Messias como “aproximador a Israel”, para tê-lo apenas como o Deus encarnado e “sem pátria” que levou nossos pecados na cruz. É claro que a missão redentora de Cristo é sine qua non para que alguém possa ter acesso às promessas e ao dom da salvação, e não estou de forma alguma diminuindo esta importância. Porém, é fundamental entendermos a obra do Messias em sua plenitude, e não apenas uma faceta ou um aspecto da mesma. Se separarmos Cristo de seu vínculo histórico, profético e identitário com Israel, não compreenderemos plenamente quem Ele é. O fato de todos terem sido lavados por Seu sangue e terem experenciado através Dele o novo nascimento, não automaticamente garante uma unidade funcional com outros grupos ou indivíduos que passaram pela mesma experiência. O exemplo histórico relatado nos livros do Novo Testamento e a atual fragmentação do cristianismo são provas incontestáveis do que acabei de afirmar. É exatamente nesta lacuna que entra o elemento “ensino” ou “doutrina”. É ela que também mantém os ramos (membros) do Corpo unidos em um mesmo ideal. Basta ler as palavras de Lucas em At 2:42-47:

“E perseveravam na DOUTRINA dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos. Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum. Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade. Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos”.

Notemos que seria irrelevante para Lucas dizer que eles “perseveram em Cristo”, pois isto já era a base do status quo da comunidade como Igreja. Todos estavam em Cristo, pois ele é a base, o cabeça! Porém, Lucas deixa claro que a perseverança na doutrina (ensino) dos Apóstolos era uma das condições fundamentais e primordiais para se alcançar as demais expressões de comunhão mencionadas no texto. Tal doutrina (ensino) era necessária para que os participantes da Igreja em Atos tivessem a mesma interpretação do Evangelho e da obra de Cristo. Como fato comprobatório, vemos que 90% do Novo Testamento (Evangelhos e cartas pastorais), são ensinos (doutrinas) e/ou combate a falsas doutrinas.

Paulo, Pedro, Tiago e João combatiam heresias (falsos ensinos) presentes nas várias comunidades do 1º século, utilizando para isso a Doutrina dos Apóstolos. Era o ensino comum com base no presbitério da Igreja em Jerusalém que assegurava uma unidade doutrinária, funcional e até mesmo espiritual entre os vários membros do Corpo de Cristo. O próprio Paulo é categórico ao afirmar que Judeus e não-judeus em Cristo existem como família de Deus sobre o FUNDAMENTO dos Apóstolos e dos profetas, sendo este fundamento apoiado sobre o próprio Cristo, a PEDRA ANGULAR (Ef 2:20). Ou seja, Cristo é a base, o ponto inicial da construção que deve vir a seguir, a saber, o ENSINO DOS APÓSTOLOS E DOS PROFETAS. Sem a base (Cristo), não há Igreja, mas também sem o restante do FUNDAMENTO ela não pode manter-se unida. Cristo é o alicerce sobre o qual a fundação doutrinária existe. Não podemos achar que esta afirmação “diminui” a importância de Cristo na vida do discípulo, pois sem Ele não haveria sequer um organismo denominado Igreja. Cristo é o cabeça da Igreja, seu Senhor, Rei e sustentador. Ele é o noivo, o próprio motivo de existência da Igreja. O fato de reconhecermos que ensinos corretos asseguravam a unidade do Corpo de Cristo não é contrário à soberania de Cristo sobre a Sua Igreja. Ao contrário, o compartilhamento de uma mesma doutrina assegurava que todos os membros do Corpo teriam a mesma compreensão da Identidade de Cristo e de sua própria identidade como Igreja, confirmando a absoluta soberania do Messias sobre a sua Assembléia. A união fundamentada em uma mesma doutrina é o exemplo Bíblico que temos da Igreja do primeiro século e deve ser o exemplo a ser seguido em nossos dias. Vejamos alguns textos:

“Mas graças a Deus porque, outrora, escravos do pecado, contudo, viestes a obedecer de coração à forma de doutrina a que fostes entregues; e, uma vez libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça”. (Rm 6:17-18)

“Expondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Cristo Jesus, alimentado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido”. (1Tm 4:6)

“Se alguém ensina outra doutrina e não concorda com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo e com o ensino segundo a piedade, é enfatuado, nada entende (...)” (1Tm 6:3-4)

Neste aspecto, baseado nos exemplos bíblicos que foram citados, volto a afirmar que apenas a crença em Cristo não garantia a união da comunidade dos Santos. Cristo era a base, o ponto de apoio, a pedra angular, mas o que também mantinha a estrutura unida era a DOUTRINA, o FUNDAMENTO como um todo. Ou seja, o ELO de LIGAÇÃO entre os membros do corpo era também a doutrina dos Apóstolos. Mais uma vez, isso não diminui em nada a importância e a posição de Cristo como Rei e Senhor da Sua Igreja. Não podemos manipular os textos motivados por uma falsa humildade e aparente sabedoria, visando colocar pessoas que defendem os argumentos acima como “inimigas de Cristo” ou “diminuidoras” do Seu Poder.

[Permitam-me abrir um parêntese - Em relação a última frase do parágrafo anterior, eu pergunto: O que alguns incautos teólogos que se julgam os guardiões da IGREJA e da Sã doutrina cristã (mas que só sabem dividir e ferir o Corpo de Cristo com sua rebeldia, carnalidade e ingratidão), falariam de um judeu cristão que escrevesse a seguinte frase: “...estou disposto a me SEPARAR DE CRISTO se isto for contribuir de alguma forma para a salvação de meus irmãos judeus!”? Eles com certeza usariam essas palavras para condenar seu autor como herege, conclamando demais cristãos a isolarem tal pessoa pois “colocou ISRAEL acima de Cristo”, ou ainda que o sujeito em questão não é mais “cristocêntrico”! Pois bem, este judeu cristão era o Apóstolo Paulo que escreveu esta frase para gentios arrogantes e ingratos que odiavam Israel e o povo Judeu e que usavam falsamente “Cristo” para se DESCONECTAREM de suas raízes no povo Judeu (Leiam Rm 9:3). Se Paulo escrevesse em nossos dias ele seria considerado “apóstata” e “herege” por 99% dos teólogos cristãos. Se ele tivesse escrito na Idade média, seria queimado como herege na fogueira da inquisição como foram meus antepassados. Dou graças a Deus pois tais teólogos não são os “guardiões” da fé nem da “sã doutrina”, pois de outra forma eu e o Apóstolo dos Gentios teríamos nos tornado “cripto-cristãos”!!! Como vocês vêem, é possível usar falsamente um “cristocentrismo” para desviar as pessoas de um dos pilares da Fé de Cristo – ISRAEL e o POVO JUDEU! Não caiamos na astúcia dos falsos mestres, que distorcem e manipulam as Escrituras para alimentarem sua própria vaidade, seu próprio ego, sua própria carne. Os verdadeiros “hereges” são conhecidos por seus frutos, e não apenas por sua teologia – Mt 7:20]

Atualmente, devido aos séculos de influências anti-semitas e anti-judaicas nas bases e nos vários desenvolvimentos da Teologia Cristã, o ensino (doutrina) Apostólico sobre a identidade do discípulo de Cristo em relação a Israel (Rm 9:4-5, 11:7-32; Ef 2:13, 3:6) é praticamente AUSENTE e/ou DISTORCIDO entre os vários grupos e indivíduos que hoje se identificam como “cristãos”. Este é um dos ensinos que mais carecem de restauração conceitual nos meios eclesiásticos de hoje, em minha humilde opinião. Não apenas isso, mas esta carência e ignorância sobre a identidade do Cristão em relação à nação de ISRAEL fez com que um poderoso ELO DE LIGAÇÃO (doutrina) existente nos primeiros séculos da era Cristã desaparecesse por completo do seio da Igreja. Como conseqüência, temos o excesso de vertentes, denominações, grupos, religiões e seitas que se denominam “Cristãs” e que não exercem nenhum tipo de comunhão neo-testamentária entre elas, além de se posicionarem contrariamente às Escrituras em assuntos relacionados a Israel e sua posição nos planos de Deus. Todas se dizem “seguidoras de Cristo”, mas continuam divididas e até mesmo inimigas. Isso é a prova irrefutável que no aspecto e contexto aqui apresentados, apenas a crença comum em Cristo não representou historicamente o elemento catalisador da união do Corpo de salvos como exemplificado em At 2:42-47. A exemplo do próprio texto de Atos, um elemento doutrinário comum e verdadeiro mantinha as comunidades unidas em CRISTO e em cooperação mútua, apesar dos serviços (ministérios) serem diversificados.

Como a doutrina apostólica sobre a IDENTIDADE do Cristão em relação a Israel é uma das mais ausentes na atualidade (Rm 9:4-5, 11:7-32; Ef 2:13, 3:6), deduz-se sem muito esforço que o seu REAPARECIMENTO nos meios teológicos cristãos contribuirá em muito para a RESTAURAÇÃO da tão sonhada UNIDADE da Igreja lida em Atos dos Apóstolos. Isso porque tal doutrina promove as bases para a identidade do Cristão, um fator fundamental para todo o desenvolver da vida do discípulo de Cristo, além é claro de seu novo nascimento verdadeiro. Sua visão de mundo, seu conceito pleno sobre Cristo e sobre o evangelho são diretamente afetados por seu conceito de identidade. A leitura que faço a meu respeito dita a leitura que farei do mundo ao meu redor. DOUTRINAS que tratam da IDENTIDADE do CRISTÃO em relação a ISRAEL são elementos da FUNDAÇÃO (Ef 2:20), e sua RESTAURAÇÃO certamente será um dos elementos que produzirá a tão sonhada unidade verdadeira do Corpo de Cristo. Esse é o meu objetivo como ministro da Palavra de Deus e para isso tenho apresentado a minha vida diante do Deus de ISRAEL, com frutos os quais coloco à disposição de todos para julgamento. Verei em meus dias a IGREJA de CRISTO mais uma vez UNIDA e RESTAURADA, co-herdeira e co-participante com ISRAEL nas ALIANÇAS e PROMESSAS, sendo conhecida por seu amor a Cristo e amor uns aos outros, unânimes na “DOUTRINA dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações”!

“Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, DOUNTRINANDO-NOS que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente, aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus, o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de REDIMIR-NOS de toda iniqüidade e PURIFICAR, PARA SI MESMO, UM POVO exclusivamente seu, ZELOSO DE BOAS OBRAS. (Tt 2:11-14)

Na graça de Yeshua (Jesus) meu Rei, Deus e Messias,

Matheus Z. Guimarães

Vice-presidente do Ministério Ensinando de Sião – http://www.siaobr.com

Diretor do CATES (Centro Avançado de Teologia Ensinando de Sião) – http://www.cates.com.br

Judeu segundo a carne e apaixonado por Cristo segundo as promessas feitas aos meus patriarcas

P.S

1. O vídeo mencionado no qual explico sobre o ELO DE LIGAÇÃO da IGREJA como sendo a DOUTRINA Apostólica da IDENTIDADE Cristã deu origem ao artigo "O Elo de Ligação", o qual é mais completo e mais abrangente do que a mensagem postada no youtube, razão pela qual este o substitui.

2. O Ensino que dedico exclusivamente à DOUTRINA da IDENTIDADE CRISTÃ pode ser visto clicando-se AQUI.

3. Vejam mais estudos gratuitos AQUI.

4. Um pequeno comentário sobre Rebeldia: o texto de 2Pe 2:1 refere-se à história de CORÁ (um levita que se levantou soberbamente contra as autoridades que Deus instituiu sobre ele próprio e acabou recebendo juízo repentino da parte de Deus – Nm 16): “Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade; também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme. (2Pe 2:1-3). Pedro alerta que falsos profetas se levantariam na Igreja como CORÁ (embebidos em rebeldia e ingratidão), e tentariam ensinar com “palavras fictícias” e dissimuladoras contra a verdadeira Salvação de Deus. A REBELDIA é uma característica que DESQUALIFICA o obreiro para a boa obra em Cristo. Nossos FRUTOS diferem os homens dos aventureiros (crianças e/ou moleques) no Reino. Aqueles que são e aqueles que fingem ser. “Pelos FRUTOS vos conhecereis!” (Mt 7:20).

5. Para uma esclarecedora carta do Rabino Messiânico Joseph Shulam, CLIQUEM AQUI.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

URGENTE

Queridos irmãos e irmãs,

A audiência da Suprema Corte para o Edifício do Netivyah será realizada amanhã, 6 de outubro de 2011, às 11h30am horário de Jerusalém. Por favor, mantenha-nos todos em suas orações. Não há o que falar na Corte Suprema de Israel, somente se os juízes lhe fizerem perguntas (os advogados). Estamos

com Yeshua e estamos certos de que Sua vontade será feita.

Joseph Shulam

P.S. - O veredicto será anunciado em alguns meses.

Lista de Oração de Jerusalem, 30 de setembro, 2011.

Por Joseph Shulam

Hoje, primeiro dia do sétimo mês de acordo com o calendário judaico é Rosh Hashana o Ano Novo Judaico. É a festa das trombetas. Tivemos cultos especiais e usamos o shofar dando os tradicionais toques. Nas sinagogas amanhã lerão Gênesis capítulo 22, o sacrifício de Isaque. Fiz a seguinte pergunta: “Porque todas as sinagogas no mundo lêem este capítulo sobre a festa das trombetas?” Bem, do ponto de vista oficial é para lembrar que Deus enviou o cordeiro para substituir Isaque sobre o altar. O cordeiro tem chifres e o shofar feito de chifre de cordeiro nos faz lembrar o cordeiro que Deus providenciou para salvar Isaque da morte. No entanto, não tenho certeza de que esta seja a única explicação ou razão para que esta festa tenha sido ordenada para o primeiro dia do sétimo mês, ou por que a principal coisa sobre este feriado é o toque do Shofar. A pergunta que surgiu este ano é o que poderia motivar uma pessoa justa como Abraão a estar disposto a matar o seu filho unigênito, Isaque? Todos nós temos muitas razões pelas quais fazemos as coisas, e especialmente pelas ações complexas que podem trazer conseqüências muito graves. Você pode imaginar o que aconteceria hoje, e provavelmente alguns diriam que o mesmo poderia acontecer também nos dias de Abraão? “Um homem mata seu filho em um altar improvisado em cima da montanha perto de Jerusalém”. Isto poderia ter sido a manchete para o Jerusalem Times! Outra manchete poderia ter sido: “Um Anjo do Céu impede um homem de matar seu próprio filho”. No entanto, não foi isto que aconteceu. A pergunta permanece: o que motivou Abraão a levar seu filho unigênito e oferecê-lo no altar?

Em geral, as pessoas são motivadas por várias coisas: medo, amor, ganho, (poderia ser o acúmulo de riquezas), honra, poder, segurança, zelo religioso – que geralmente chamamos de fé no cristianismo, ódio, vingança e ciúme. Provavelmente, há outras motivações na vida, mas estas são as principais. Então, o que levou Abraão a tomar o seu filho e amarrá-lo no altar disposto a tirar sua vida?

A resposta simples é “fé” – que fé pode motivar uma pessoa a fazer algo que é contra a lei, contra a lógica, contra a dignidade humana, contra a família, contra a própria esperança para o futuro? Acho que responder “fé” é muito simplista. Tem que haver muito mais do que “fé” ou fervor religioso para levar um homem a fazer o que Abraão fez. Em minha opinião, ele estava disposto a sacrificar seu filho Isaque por motivos muito mais complexos.

Medo – Abraão não tinha medo de fazer o que Deus lhe pediu para fazer. Ele sabia que Deus cumpre Suas promessas. Ele temia que se não obedecesse a Deus algo de ruim poderia acontecer a ele e sua família.

Ganho – Abraão sabia que a obediência aos mandamentos de Deus lhe traria ganho e riquezas. Ele viu que Deus é fiel para aumentar seu rebanho e riqueza por causa de sua fé e obediência (veja Gênesis 26:4-5).

O zelo religioso – Fé, Abraão amava a Deus e estava disposto a receber a correção e repreensão por seus pecados e erros. O verdadeiro amor sempre está disposto a receber correção por parte de seus entes queridos.

Esperança – Abraão tinha essas maravilhosas promessas de Deus e sabia que Deus sempre cumpre Suas promessas, porque Ele não é homem para que minta. Por esta razão, Abraão sabia que, mesmo se ele sacrificasse Isaque Deus o ressuscitaria.

Amor – o amor de Abraão por Deus e seu amor por Isaque foi uma forte motivação durante toda a sua vida. Seu amor por Isaque também foi fortalecido pela fé e esperança que ele tinha quanto ao cumprimento das promessas de Deus para a sua semente, a terra, e as bênçãos para o mundo todo.

Eu gostaria que vocês pensassem sobre si mesmos agora, nos próximos dez dias e se perguntassem: por que eu faço o que faço? Sejam honestos consigo mesmos e cada um faça uma relação das coisas que você acredita que Deus prometeu a você e sua família. Depois de fazer essas duas coisas você precisa perguntar a si mesmo: o que estou disposto a sacrificar e dar a Deus para que minha vida seja abençoada e fiel e próspera com as bênçãos de Dele!

Eu abençôo a todos vocês meus queridos irmãos com um ano maravilhosamente rico, com boa saúde, com grande satisfação em sua vida e trabalho, com uma experiência maravilhosa em sua comunhão e serviço para Deus e para a comunidade, e com uma grande alegria em abençoar Israel e o povo de Deus. Shana Tova a todos vocês para o ano 5772.

Por favor, continuem a orar por nossos irmãos e irmãs enfermos em todo Israel, Brasil, Estados Unidos, Japão, Alemanha, Finlândia, e em casa também. Não vou listar novamente, mas se você precisar lembrar os nomes basta olhar a lista da semana passada.

Deus abençoe a todos, dando-lhes entendimento do que é realmente importante para agora e para a eternidade e sabedoria para tomar as decisões corretas e saudáveis com base em uma avaliação verdadeira da fidelidade de Deus em cumprir Suas promessas para com você, Israel, e para com todo o mundo.

Obrigado e Shana Tova a todos,

Joseph Shulam